Águas do Baixo Mondego e Gândara apela para o “uso contido e racional da água”

Uso contido e racional da água
   Pub   
   Pub   
   Pub   

A Águas do Baixo Mondego e Gândara (ABMG) apelou hoje ao “uso contido e racional” da água, no âmbito da previsão do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) de aumento das temperaturas nos próximos dias.

O apelo surgiu no âmbito da previsão do IPMA, que prevê o aumento das temperaturas nos próximos dias, podendo atingir os 43 graus Celsius em algumas zonas do país.

A empresa intermunicipal ABMG pede, nas plataformas digitais, para o “uso contido e racional da água para consumo humano, limitando essa utilização aos fins mais nobres a que a mesma se destina, nomeadamente, aos usos domésticos, como é o do consumo para hidratação, da confecção de alimentos, da higiene e de cuidados primários de saúde”.

 Pub 
 Pub 
 Pub 

Todas as restantes utilizações, “nomeadamente, lavagens de espaços, materiais, equipamentos e viaturas, regas, refrigeração, arrefecimento” e outras, consideradas secundárias, “deverão remeter-se ao mínimo imprescindível”.

Em “casos de extrema urgência e impossibilidade de utilização de outra fonte de abastecimento, como é o caso de furos privados, da reutilização de água e da reciclagem de água, consoante a sua origem primária”, sublinha a empresa, que agrega os municípios de Mira, de Montemor-o-Velho e de Soure, no distrito de Coimbra.

Esta acção tem como objectivo “contribuir para a redução da pressão hídrica” que, em períodos como este, tendem a “provocar e sequenciar a preocupação das autoridades em dar atenção especial a grupos mais vulneráveis ao calor”.

A esta situação acresce o “elevado risco de incêndio”, sendo a água um instrumento “imprescindível para garantir o sucesso nos eventuais combates às chamas”, adverte.

A ABMG conclui exortando à “compreensão e acção de todos” para adequar os comportamentos às circunstâncias.

Lisboa e Leiria estão a partir de hoje sob aviso laranja e os restantes 16 distritos de Portugal continental a amarelo, por causa do tempo quente, prevendo-se um agravamento para os próximos dias, segundo IPMA.

Na sexta-feira, o aviso laranja vai estender-se aos distritos de Coimbra, Santarém, Setúbal, Évora e Beja e no sábado também a Portalegre, Castelo Branco, Bragança, Vila Real, Braga e Porto.

O aviso laranja indica situação meteorológica de risco moderado a elevado e o amarelo é emitido pelo IPMA sempre que existe uma situação de risco para determinadas actividades dependentes da situação meteorológica.

A previsão aponta para uma subida dos valores de temperatura, em especial da máxima, esperando-se valores acima de 35 graus Celsius na generalidade do território, excepto em alguns locais da faixa costeira ocidental, onde os valores serão entre 30 e 35 graus.

Entretanto, mais de um quarto do território do continente estava no final de Junho em seca extrema (28,4%), verificando-se um aumento em particular na região Sul e em alguns locais do interior Norte e Centro, segundo o IPMA.

O restante território estava em seca severa (67,9%) e seca moderada (3,7%).

O instituto classifica em nove classes o índice meteorológico de seca, que varia entre “chuva extrema” e “seca extrema”.

“De realçar os distritos de Bragança, Guarda, Castelo Branco, Santarém, Setúbal, Beja e Faro com valores inferiores a 10 % e em muito locais iguais ao ponto de emurchecimento permanente”, destaca o IPMA.