António Costa_ Novas medidas de contenção da pandemia
   Publicidade   
   Publicidade   

O primeiro-ministro anunciou mais 10 medidas de reforço do confinamento. O objectivo é garantir que os portugueses ficam – mesmo – em casa. Mas as escolas continuarão abertas (com mais polícia à porta)

   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
  1. Proibida a venda ou entrega ao postigo em qualquer estabelecimento do ramos não alimentar, como lojas de vestuários;
  2. Proibida a venda ou entrega em cafés ou em estabelecimentos em take away;
  3. Proibida venda ao postigo de bebidas alcoólicas;
  4. Proibida permanência e consumo de bens alimentares à porta ou nas imediações dos estabelecimentos alimentares;
  5. Encerrados todos espaços de restauração em centros comerciais, mesmo em take away
    Proibidas todas as campanhas de saldos, promoções e liquidações que promovam deslocação de pessoas;
  6. Proibida permanência em espaços públicos como jardins, (“podem ser apenas frequentados, não servir de espaço de permanência”);
  7. Solicitar aos autarcas que limitem acesso a locais de grande concentração de pessoas em frentes marítimas ou ribeirinhas, assim como de bancos de jardins;
  8. Proibido também fazer desportos em equipamentos, mesmo que individuais e abertos, nomeadamente campos de ténis ou padel;
  9. Encerrados centros de dia e de convívio;
  10. Teletrabalho:
    todos os trabalhadores que tenham se deslocar carecem de credencial emitida pela empresa, e todas mas empresas de serviços com mais de 250 trabalhadores têm de enviar em 48h à Autoridade para Condições de Trabalho da lista nominal dos que estarão em trabalho presencial;
  11. Reposta a proibição de circulação entre concelhos ao fim‑de‑semana;
  12. Todos estabelecimentos devem encerrar às 20 h dias úteis e às 13h aos fim‑de‑semana (menos retalho alimentar, que aos fim‑de‑semana se pode prolongar até às 17h); 
  13. Reforço de fiscalização da ACT e das forças de segurança – que terá mais visibilidade nas imediações de estabelecimentos escolares, para dissuadir e impedir ajuntamentos