Bolsas europeias em baixa perante aumento de tensões geopolíticas

Bolsas em queda
   Pub   
   Pub   

As principais bolsas europeias estavam hoje em baixa, perante o aumento das tensões geopolíticas depois da queda de um míssil na Polónia na terça-feira.

Às 08:55 em Lisboa, o EuroStoxx 600 estava a cair 0,42% para 432,62 pontos.

As bolsas de Frankfurt, Madrid e Milão desvalorizavam-se 0,35%, 0,44% e 0,12%, enquanto a de Paris subia 0,01%.

 Pub 
 Pub 

Além de Paris, Londres também avançava, designadamente 0,05%, apesar de se ter sabido que a inflação homóloga no Reino Unido subiu para 11,1% em Outubro, o nível mais alto em 41 anos.

Depois de abrir a cair, a Bolsa de Lisboa mantinha a tendência e, às 08:55 o principal índice, o PSI, estava a recuar 0,32% para 5.799,84 pontos.

Apesar de Wall Street ter terminado na terça-feira com ganhos, animada por um dado positivo do índice de preços da produção nos EUA, que se suavizou mais do que o esperado em Outubro, as bolsas europeias abriram hoje com tendência negativa perante a incerteza provocada pela explosão de um míssil na Polónia, na fronteira com a Ucrânia, que provocou a morte de duas pessoas.

Os ganhos de Wall Street também se apoiaram na expectativa de que a Reserva Federal dos EUA (Fed) possa abrandar as subidas das taxas de juro.

O Presidente norte-americano, Joe Biden, disse na noite de terça-feira que era “pouco provável” que o míssil tivesse sido disparado a partir da Rússia e adiantou que o G7 e a NATO apoiarão a investigação do Governo polaco sobre o incidente antes de “dar mais passos”.

Quando questionado se o míssil tinha sido disparado a partir da Rússia, o Kremlin afirmou que “há muita informação que contradiz isso”.

Na terça-feira, a Bolsa de Wall Street terminou em alta, com o Dow Jones a subir 0,17% para 33.592,92 pontos, contra o máximo desde que foi criado em 1896, de 36.799,65 pontos, registado em 4 de Janeiro deste ano.

O Nasdaq fechou a valorizar-se 1,45% para 11.358,41 pontos, contra o atual máximo, de 16.057,44 pontos, verificado em 16 de Novembro do ano passado.

A nível cambial, o euro abriu em alta no mercado de câmbios de Frankfurt, a cotar-se a 1,0397 dólares, contra 1,0385 dólares na terça-feira, e 0,9585 dólares em 27 de Setembro, um mínimo desde Junho de 2002.

O euro está a cotar-se acima da paridade face ao dólar desde 7 de Novembro, depois de ter estado abaixo da paridade desde 20 de Setembro, com excepção para o dia 26 de Outubro (1,0076 dólares).

O barril de petróleo Brent para entrega em Janeiro de 2023 abriu com tendência descendente no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, a cotar-se a 93,64 dólares, contra 93,86 dólares na terça-feira e 81,34 dólares em 26 de Setembro, um mínimo desde Fevereiro deste ano (antes do início da invasão da Ucrânia pela Rússia).