Publicidade   
   Publicidade   

Foi publicado hoje, 7 de Maio, em Diário da República, o parecer favorável da Direcção-Geral do Património Cultural sobre o pedido apresentado pelo Município de Estremoz para a inscrição da «Produção de Figurado em Barro de Estremoz» no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial.

   Publicidade   
   Publicidade   

Bonecos de Estremoz2A decisão da Direcção-Geral do Património Cultural, tomada a 17 de Dezembro de 2014, sobre o pedido de inventariação da «Produção de Figurado em Barro de Estremoz» teve por fundamento a importância de que se reveste esta manifestação do património cultural imaterial enquanto reflexo da identidade da comunidade de Estremoz em que esta tradição se pratica; a importância pela sua profundidade histórica, com origens que remontam pelo menos ao século XVII, assim como pela sua forte ancoragem social na comunidade de Estremoz; a produção e reprodução efectivas que caracterizam esta manifestação do património cultural na actualidade, não obstante as actuais ameaças expressas na dificuldade de formação de novos praticantes da tradição no âmbito da própria comunidade; a importância de que se reveste o pedido de inventariação em apreço, em virtude de ter resultado de investigação desenvolvida pelo Museu Municipal de Estremoz; e as medidas de salvaguarda e valorização preconizadas para a salvaguarda e viabilidade futura da tradição em apreço, designadamente as de âmbito patrimonial, científico e educativo.

A decisão da Direcção-Geral do Património Cultural sobre o pedido de inventariação da «Produção de Figurado em Barro de Estremoz», teve ainda por fundamento a conformidade do pedido de inventariação com os requisitos definidos; a ausência de pareceres contrários à conclusão do procedimento de inventariação, quer em sede da fase de consulta directa sobre o procedimento de inventariação, quer em sede da fase de consulta pública; e o facto de que o pedido de inventariação resultou da iniciativa da comunidade no âmbito da qual se realiza a «Produção de Figurado em Barro de Estremoz», tendo em vista a valorização desta manifestação do património cultural imaterial à escala nacional.

Bonecos de Estremoz3Em resultado da conclusão do procedimento de inventariação a respectiva Ficha de Inventário é disponibilizada publicamente na página electrónica de acesso ao Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial, através do endereço web: www.matrizpci.dgpc.pt.
A inventariação da «Produção de Figurado em Barro de Estremoz» é objecto de revisão ordinária em períodos de 10 anos, sem prejuízo de revisão em período inferior sempre que sejam conhecidas alterações relevantes, sendo que qualquer interessado pode suscitar, a todo o tempo, a revisão ou a actualização do respectivo inventário.

Está assim concluído o primeiro grande objectivo do Plano de Salvaguarda e Valorização do Boneco de Estremoz, a inscrição neste inventário, situação que potencia o conhecimento desta arte, mas também será factor de promoção junto da comunidade científica de um património único no mundo. De salientar que é a primeira tradição cerâmica nacional a ser incluída neste inventário.

Brevemente o Plano terá mais acções concluídas, como a renovação museográfica do Museu Municipal (a decorrer) e a entrega da proposta de integração na Lista Representativa do Património Cultural Imaterial da Humanidade (UNESCO).

Entretanto, desde o início da colocação em prática deste Plano, que perto de 2 mil crianças e jovens já tiveram a oportunidade de conhecer e modelar um Boneco ao modo de Estremoz, por intermédio de acções educativas realizadas no âmbito do Museu Municipal. Para a concretização destas actividades, foi adquirida uma mufla para este mesmo Museu, que potenciou a capacidade de acolhimento destas oficinas de Bonecos. Assim, através da prática, acompanhada de teoria, pretende-se criar junto dos mais novos o gosto pela arte bonequeira e potenciar o despertar de futuros (as) bonequeiros(as).

[spacer style=”3″]