Bruno Mocinha
Arquivo
   Publicidade   
   Publicidade   

A Juventude Socialista (JS) de Elvas foi a eleições no passado sábado, 26 de Outubro, tendo existido apenas uma lista a sufrágio encabeçada por Bruno Mocinha, que se recandidatou para o segundo mandato à liderança desta estrutura.

   Pub 
   Pub 

Integram no grupo de trabalho para o secretariado além de Bruno Mocinha, Marta Inácio, Mariana Messias, Miguel Camões, Lívia Pombo, Luís Baptista, Ana Rita Anjos, Soraia Branco, Filipe Rodrigues, Soraia Belchior, Telma Maroto, Ruben Pinheiro, Maria João Conceição e Maria Cardoso. Para a Mesa da Assembleia, presidida por Leila Calado constam Catarina Cachola, Pedro Coutinho, Ana Morgado e Gabriel Zuna. Finalmente para os representantes da JS na Comissão Politica da Concelhia do PS constam André Cachola, Ana Rosa, Márcia Barrena e Max Pinheiro.

Nas palavras de Leila Calado, Presidente da Mesa da Assembleia e militante desde 2013, “Foram já 6 anos de pura aprendizagem e constante evolução, evolução acrescida por constar também na Comissão Política do PS! Já me questionaram o porquê de eu estar militada num Partido Politico e a minha resposta sempre foi a mesma: dar voz e cara por aqueles que precisam, defender os interesses dos jovens e caminhar para uma sociedade mais justa, igualitária e livre! Na JS e no PS cumpre-se tudo isso e muito mais! Ter um papel activo e preponderante na vida politica é um desafio, do qual me orgulho muito.”.

Segundo Bruno Mocinha, que inicia agora o seu segundo mandato na liderança dos jovens socialistas elvenses, “Terminamos um ciclo com sentimento de missão cumprida e iniciamos um novo com confiança e vontade reforçadas. Há dois anos propusemo-nos a reinventar a acção da Juventude Socialista, quisemos ser mais interventivos em áreas como a formação política dos jovens elvenses, responsabilidade ambiental e acção social. Em cada um destes campos conseguimos desenvolver iniciativas novas e de valor para a comunidade elvense, como é exemplo a iniciativa “Eu, Deputado”, realizada com os jovens da escola secundária D. Sancho II, como foram as dinâmicas criadas em torno do dia da árvore com as crianças da escola da Boa-fé, ou como são os eventos de recolha de sangue que já organizámos e continuaremos a organizar pelo menos duas vezes por ano.”.

Acrescenta ainda, “Não queremos apenas continuar o trabalho que iniciámos há dois anos, queremos sim fazer mais e melhor.”