Início Política Autárquicas 2017 A cadeira do poder

A cadeira do poder

O barbeiro foi o promotor, talvez inspirado pelas conversas que, diariamente, fluem ao sabor da tesoura, da navalha e do inconfundível aroma a Floid.

COMPARTILHE
   Publicidade   

O barbeiro foi o promotor, talvez inspirado pelas conversas que, diariamente, fluem ao sabor da tesoura, da navalha e do inconfundível aroma a Floid.

Aceitámos de imediato, apesar de diferentes na forma de estar e de ser, mas iguais no amor a Elvas. A coisa deu-se e aproxima-se, orgulhosamente, do segundo aniversário de existência.

Refiro-me às Conversas de Barbearia, projeto que integro por amizade e convicção.

Para os mais distraídos, a afamada Barbearia do Valdemar, no Largo do Colégio, é ocasionalmente palco das tertúlias promovidas pelo atual proprietário, Pedro Sereno, com a participação de João Fernando Vinagre, Miguel Velasquez e eu próprio.

O chavão é o improviso. A máquina de filmar é estrategicamente disposta e inicia-se a filmagem para em breves segundos nos esquecermos dela. A dissertação incide sobre temas marcantes da semana quer sejam de caráter internacional, nacional ou local. Estes últimos são sempre tratados de forma mais apaixonada por diretamente nos dizerem respeito e porque somos empenhados embaixadores da nossa terra e do que é nosso.

Nuno Franco Pires
Nuno Franco Pires, escritor

De forma leve e descontraída, mas responsável, sem o compromisso de o fazer com uma periodicidade fixa, com isenção, livres de opinar sobre o que quisermos, com a legitimidade de quem a ninguém deve, mas com respeito, de forma construtiva, porque acreditamos que todas as opiniões valem, desde que venham por bem.

Num espírito de camaradagem, como é percetível por quem nos vê, sem ambição de ser nada mais do que uma tertúlia entre amigos, elvenses preocupados e interessados com o que acontece à sua volta, genuínos, sem forjar debates e confrontos de ideias onde elas não existem. Se concordamos uns com os outros, assumimo-lo, e se não, debatemos opiniões, partilhamos pontos de vista, com verdade.

Damos a cara, defendendo as opiniões que todos verbalizam, na barbearia, na pastelaria, no café, nos Cantos da Carreira, porque todas as opiniões contam e devem ser manifestadas.

Com as eleições autárquicas a uns dias de distância desafiámos os candidatos a tomarem assento na cadeira do barbeiro, que foi temporariamente denominada como a cadeira do poder, e tornarem-se mais um Tertuliano.

Pretendiam-se conversas descontraídas, intimistas, que nos revelassem um pouco mais do candidato, dos seus projetos, longe dos formatos de entrevistas e debates. Não somos um órgão de comunicação social nem temos pretensões de o ser.

Gravadas que estão as ditas, invade-nos a satisfação do dever cumprido. Os candidatos que se dispuseram a incorporar a nossa tertúlia entraram perfeitamente no espírito que pretendíamos e julgamos ter contribuído para os mostrar por outro prisma, mais humanista, mas simultaneamente sério e responsável, com o intuito de esclarecer os elvenses e ajudá-los na definição do seu sentido de voto no próximo dia 1 de Outubro.

A partir desta terça-feira, os vídeos estarão disponíveis nas redes sociais, na página do blog “Três paixões” e também no youtube. Esperamos que sejam do vosso agrado.

Aos meus três amigos e colegas tertulianos repito o que pessoalmente já lhes disse: orgulho em nós, rapazes.

Por Elvas, sempre.

Palavras leva-as o vento.

   Publicidade   
   Publicidade   
Artigo anteriorGNR recupera Águia-Cobreira
Próximo artigoFui
Nuno Franco Pires
Nuno Franco Pires, nasceu em Elvas em 1975 e é um alentejano orgulhoso das suas raízes. Gosta de escrever – sempre gostou. Começou por pequenas histórias, onde os amigos de infância eram os protagonistas, passando pelo blog Dualidades (asdualidades.blogspot.com) do qual foi coautor e onde abordava temas que marcavam a actualidade. Cativam-no as relações humanas e a interacção entre as pessoas; é sobre elas que escreve. Tem participado e vários concursos literários tendo ganho uma menção honrosa no prémio Glória Marreiros, organizado pela Câmara Municipal de Portimão, com a novela "Amor entre muralhas" escrita em parceria. Participou na colectânea "Ei-los que partem" da editora Papel d' Arroz e com a chancela da Chiado Editora editou o seu primeiro romance, "Searas ao vento". Colaborou com a TV Guadiana, publicando semanalmente, pequenas histórias da sua autoria e incorpora o painel de tertulianos da rúbrica "Conversas de Barbearia" do blog Três Paixões.