Início Actual Câmara e INIAV procuram soluções para problemas no campo

Câmara e INIAV procuram soluções para problemas no campo

COMPARTILHE
   Publicidade   
   Publicidade   

A Câmara Municipal de Elvas (CME) e o Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária (INIAV) assinaram, na manhã desta terça-feira, 15 de Maio, um protocolo de cooperação com vista à implementação do CoLab InnovProtect Plant, que se vai estabelecer na ex-Estação Nacional de Melhoramento de Plantas, na cidade Património Mundial.

Neste acto, presidido pelo ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos, esteve também presente o reitor da Universidade Nova de Lisboa, João Sàágua, uma vez que esta entidade integra a concretização do laboratório colaborativo de investigação agrária.

Para Nuno Canada, presidente do INIAV, que começou por salientar a importância deste projecto, que faria todo o “sentido ser feito em Lisboa ou Porto, mas que, numa perspectiva de proximidade entre a produção e distribuição, faz todo o sentido que seja em Elvas”, numa aposta clara na “transferência de conhecimentos e tecnologias”. Para este responsável, face ao exemplo de Elvas, no futuro, pode pensar-se em replicar em outros pontos do país.

Para o reitor da Universidade Nova de Lisboa, João Sàágua, foi uma “honra assistir à celebração deste protocolo de colaboração”, num século em que as universidades se querem “globais e cívicas”, sendo que, na “perspectiva global, o ensino e a investigação são feitos em rede, universal”. Para o reitor, existe ainda “um terceiro compromisso que as instituições de ensino superior do século XXI têm de adoptar, o do compromisso com a sociedade”, referindo que “a Nova tem um doutoramento na área do melhoramento de plantas”, sendo assim sido afirmativa “a resposta ao desafio que nos foi colocado”.

Nuno Mocinha, Presidente da CME, referiu que o objectivo deste “laboratório é tentar encontrar soluções para os problemas dos agricultores”, podendo “patentear soluções e depois chegar ao mercado”, fazendo-o “desafiando as pessoas a fazer investigação, que seja prática e não fique na prateleira, como acontece em alguns casos”.

O autarca de Elvas lembrou ainda que este é um investimento de 2,5 milhões de euros e que a “Câmara Municipal não é apenas um mero apoio, vamos fazer obras e equipar todo o laboratório para que fique pronto a desenvolver a sua função”, estando prevista a contratação de cerca de “50 investigadores para este projecto”.

Nuno Mocinha concluiu dizendo que este laboratório de colaboração é feito “num sector importantíssimo para o Alentejo” e agradeceu aos que “deram oportunidade à CME de estar presente”.

A terminar o ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos, referiu a importância da aposta no sector dos cereais, “uma área que quando surgiu o Ministério da Agricultura, há 100 anos, era importantíssima para a economia nacional”.

Assim sendo, este governante salientou que o sector dos cereais nacionais, actualmente, vive uma situação “desadequada”, que tem de ser pensada com propostas para o futuro, nomeadamente no que respeita ao auto aprovisionamento, defendendo que se está a “trabalhar numa estratégia de médio e longo prazo para inverter uma situação que consideramos desadequada a que chegou o sector dos cereais em Portugal, fruto de várias circunstâncias, como circunstâncias políticas e circunstâncias agroclimáticas”, disse.

O ministro explicou que se tem de dar condições para o sector voltar a ocupar um lugar de relevo no país, temos de “recriar as condições para que a cerealicultura em Portugal venha a ocupar o espaço que entendemos que deve ter”, tendo como objectivo que se passe dos actuais cerca de “25%”, para que, “num horizonte de cinco anos, possamos aumentar este grau médio de auto aprovisionamento para os cerca de 38 a 40%, é esse o nosso objectivo”. Luís Capoulas Santos explicou ainda que são necessárias medidas de “natureza legal e de apoios comunitários”, numa altura em que se está a definir e negociar um novo quadro comunitário de apoio.

A assinatura deste protocolo esteve inserida nas comemorações do Dia do Agricultor, que contou com conferências sobre “Adaptação às alterações climáticas” e “Estratégia nacional para a promoção da produção de cereais” e contou ainda com a presença do secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luís Medeiros Vieira.

As actividades tiveram lugar no Centro de Negócios Transfronteiriço de Elvas e contaram com casa cheia, em especial de profissionais deste sector de actividade. Após o almoço, na Estação de Melhoramento de Plantas, teve lugar uma visita ao campo.