Início Actual Campo Maior: Comissão de Utentes da Rede Viária do Caia recebida nos...

Campo Maior: Comissão de Utentes da Rede Viária do Caia recebida nos Paços do Concelho

COMPARTILHE
©Campomaiornews/Arquivo
   Publicidade   
   Publicidade   

O Presidente do Município de Campo Maior, Ricardo Pinheiro, o Presidente da Assembleia Municipal, Pedro Murcela, o Executivo Municipal e representantes das Juntas de Freguesia do Concelho receberam no Salão Nobre dos Paços do Concelho, no passado dia 14 de Maio, a Comissão de Utentes da Rede Viária do Caia para discutir o problema da sinistralidade na Estrada Nacional 373 (EN373).

A Comissão, composta maioritariamente por cidadãos campomaiorenses, surgiu na sequência do acidente automóvel ocorrido no início deste mês, do qual resultou uma vítima mortal.

A EN373 há muito que é uma estrada referenciada pelo Município de Campo Maior por registar um elevado número de acidentes dos quais têm resultado elevados danos pessoais e materiais.

O fluxo rodoviário de pesados nesta via tem aumentado nos últimos anos, fruto do crescimento industrial de que o nosso concelho tem sido um reflexo. No entanto, as condições desta estrada nacional não têm acompanhado esta evolução, o que dificulta a circulação de centenas de automobilistas no seu percurso diário para o local de trabalho.

De acordo com informações recolhidas pela Infraestruturas de Portugal, passam diariamente, pela EN373, em média, cerca de 3602 veículos, sendo que cerca de 455 são pesados.

A Comissão composta por 10 elementos foi representada na reunião por São Silveirinha, Cláudia Portela, João Carrilho e Luís Pratas.

A reunião iniciou com a leitura de um memorando, por parte de São Silveirinha, que regista os acidentes ocorridos na EN373, os quilómetros mais críticos e as medidas consideradas pela Comissão como pertinentes para a resolução do problema que preocupa principalmente os campomaiorenses e elvenses que utilizam diariamente esta via. Luís Pratas referiu ainda o elevado número de veículos pesados que atravessam a Freguesia de Degolados actualmente bem como o aumento esperado num futuro próximo, com a criação da Plataforma Logística do Sudoeste Europeu, em Badajoz.

O Executivo Municipal sugeriu então a criação de um documento conjunto onde ficassem registadas as principais conclusões alcançadas nesta reunião, nomeadamente a identificação dos pontos críticos, a sinalética insuficiente de alguns sectores, a identificação de troços onde se regista o maior número de acidentes, o possível reperfilamento longitudinal da estrada de Arronches e a avaliação do estado do traçado da EN373.
Este documento, após validação de ambas as partes, será enviado para as entidades competentes para que esta questão seja analisada com a maior brevidade possível.

Ricardo Pinheiro informou ainda que a empreitada, motivo das recentes assinaturas do Projecto de Execução dos Acessos à Zona Empresarial de Campo Maior e Acordo de Colaboração entre a Infraestruturas de Portugal (IP) e o Município de Campo Maior no âmbito do Programa de Valorização das Áreas Empresariais, foi adiantada cerca de um mês pelo que se prevê que num espaço de 2 anos a Nova Variante de Acesso à Zona Industrial de Campo Maior seja uma realidade.