Seminário-Internacional-Fidestra
   Publicidade   
   Publicidade   

A FIDESTRA, Associação para a Formação, Investigação e Desenvolvimento Social dos Trabalhadores, com o apoio do EZA, e patrocinado pela Comissão Europeia, realiza em Campo Maior, de 11 a 13 de Outubro, um Seminário Internacional, subordinado ao tema “Por uma Europa mais inclusiva; o papel das organizações de Trabalhadores”.

   Pub 
   Pub 
   Pub 

O referido seminário conta com a participação de cerca de 40 participantes provenientes de Portugal, Espanha, Itália, Polónia, Roménia e Hungria.

 Os objectivos estabelecidos para o presente seminário passam por:

_ Conhecer e partilhar as boas práticas, dos países participantes e da visita in loco a diversas empresas/entidades que têm a boa pratica de promover a igualdade de oportunidades, no sentido mais amplo, contribuindo para a construção de uma Europa cada vez mais inclusiva;

_ Visita a empresas/entidades que têm na sua prática e na (RSE) a promoção da igualdade de oportunidades.

_ O tema central do Seminário Internacional, assenta no Pilar Europeu dos Direitos Sociais, baseado nos 20 princípios fundamentais e estruturados em torno de três categorias, sendo uma delas, a Igualdade de oportunidades e acesso ao mercado de trabalho;

Importa, por isso centrar a nossa actuação, para uma Europa mais inclusiva, no direito à igualdade de tratamento e de oportunidades no emprego, na protecção social, na educação e no acesso a bens e serviços

Importa dar particular atenção aos domínios do género, raça ou origem étnica, religião ou crença, deficiência, idade ou orientação sexual.

Conhecer e divulgar a realidade desse concelho, dos projectos da Câmara Municipal de Campo Maior, e do Grupo Nabeiro – Delta Cafés, nesta matéria é fundamental para alcançar os objectivos propostos.

Espera a Organização que no final do Seminário, os participantes, em particular as organizações de trabalhadores estrangeiras, levem para os seus países as boas praticas que se implementam neste concelho Alentejano, reconhecendo que a “interioridade”, não é factor impeditivo de contribuir para uma Europa mais Inclusiva.

Consulte aqui o programa.