Publicidade   
   Publicidade   

Opinião de Graça AmiguinhoQuando a esperança parece esfumar-se na bruma do tempo e a escuridão invade a terra, há sempre uma luz que se acende e nos conduz a lugar mais seguro e promissor.

   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 

Os tempos que vivemos têm arrastado muita gente para o abismo da solidão, da pobreza, da tristeza e da depressão.

O sofrimento senta-se à mesa quando tudo escasseia e não se vislumbra a solução que faça voltar ao normal, a vida, e cada pessoa se possa sentir segura, confiante nos passos que tenha que dar para recuperar a estabilidade conseguida com anos de trabalho e agora, tristemente perdida.

A pandemia teima em se alastrar pelo mundo que, para a combater, procura caminhos que destroem a economia, anulam postos de trabalho, reduzem o convívio profissional e familiar, transformam as cidades em desertos, obrigam ao isolamento, provocando mais e mais solidão, destruindo a alegria de viver, a possibilidade de uma vida calma e saudável.

Porém, no meio de toda esta confusão, há gente que tudo faz para encontrar o caminho certo para poder restituir ao mundo a esperança de viver com dignidade, aliviar a dor e o sofrimento, diminuir o número de mortes.

“Canto a minha terra, a minha gente! Este povo que amo , a terra arada, o sol ardente!”, Graça Foles Amiguinho
“Canto a minha terra, a minha gente! Este povo que amo, a terra arada, o sol ardente!”, Graça Foles Amiguinho

São os novos “Magos” do ano 2021 que, não carregando ouro, incenso ou mirra, oferecem aos que mais precisam, o fruto do seu saber, o resultado das horas incontáveis de pesquisa para encontrarem uma medicação assertiva que combata a destruição que o Covid19 poderá ainda causar na humanidade indefesa.

As vacinas estão sendo distribuídas e administradas por todo o mundo, aos grupos de maior risco que convivem diariamente com o vírus, assim como às pessoas mais frágeis e suscetíveis de contraírem a doença, que tantas mortes provocou, desde março de 2019.

Confiemos e acreditemos que esses grandes investigadores, a quem apelido de “Magos”, por hoje se comemorar na liturgia cristã o Dia dos Reis Magos, que põem os seus conhecimentos ao serviço da humanidade, tenham encontrado o caminho certo que nos traga luz, esperança e alegria de um são convívio, que tanto desejamos e esperamos e nos possam restituir a graça de um abraço fraternal, de um beijo sem receios de contágio, coisas tão simples e naturais, mas que hoje consideramos ofertas preciosas, como foram as ofertas vindas do Oriente, trazidas pelos 3 Reis Magos, para colocarem aos pés de Jesus Menino, em Belém da Judeia, há 2021 anos, reconhecendo a sua Realeza espiritual.

Em cada ser que sofre, está esse Menino Jesus e merece todo o nosso respeito, admiração e compaixão.

Que cada um de nós aceite a nobre missão de levar conforto, carinho e um raio de esperança, a quem vive em sofrimento, mesmo que apenas o possamos fazer à distância.