Publicidade   
   Publicidade   

FWS – Flexible Workforce Solutions

   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 

A sensação de frustração que advém de a nossa equipa não fazer mais ou o que lhe é pedido é uma das questões mais presentes na vida de quem dirige uma equipa, uma empresa.

Se pensarmos, quantas vezes damos connosco a fazer o trabalho dos outros para assim servir de exemplo e esperamos que o milagre da repetição aconteça! E agora pensem. Quantas vezes aconteceu o milagre? Quantas vezes, fazemos algo à espera que o outro nos imite?

Independentemente de há quanto tempo a empresa exista, sempre é o momento certo para rever e fazer de forma diferente.

Sugiro o uso do feedback como ferramenta para melhorar a nossa satisfação e o desempenho da nossa equipa.

É simples de usar. Começamos pelo princípio, eu. O passado só tem exemplos, nada do que foi feito pode ser mudado, a não ser que seja possível ir ao passado mudar as coisas, o que julgo não ser possível nos dias de hoje. Assim, cada dia é uma nova oportunidade de começar, de recomeçar, de criar, de inventar e de fazer melhor ou pelo menos diferente.

Cristina Leal Azinhal
Cristina Azinhal, Socióloga, especialista em gestão de talento

O feedback é o acto de eu dizer a outra pessoa ou a mim mesmo o que posso melhorar e como o posso fazer, no caso de a pessoa não saber como o fazer.

Assim, imaginemos a situação em que alguém da nossa equipa, responsável por nos entregar um documento, está atrasado e quando, já está quase no prazo lembramos que estamos à espera e contamos com que o documento seja entregue, no dia, caso contrário acreditamos que a pessoa nos irá avisar, com antecedência e nos pedirá ajuda caso seja necessário. Contamos com que o outro tenha uma forma de proceder que não ponha em causa a entrega do documento. Já aconteceu algo assim? Parecido? Conseguem imaginar a situação?

Pois bem como usar o feedback nesta situação quando o nosso objectivo é melhorar o desempenho da nossa equipa?

Sempre que “esperamos” devemos acompanhar, monitorar até que o desempenho corresponda a esse ideal que traçámos. A esta pessoa a quem demos uma tarefa com prazo, devemos perguntar se compreendeu, devemos pedir para repetir o que entendeu e devemos mostrar a nossa abertura para ajudarmos caso seja preciso. Ao longo do tempo vamos perguntar se está tudo bem e pedir para nos mostrar o progresso e é nesse momento em que damos o feedback e dizemos à pessoa se está a ir bem ou não e o que pode fazer para melhorar.

A Tarefa: Feedback

Pense, o que é que pode fazer por si para ser melhor? Como gostaria de se sentir? O que é que acontece quando se sente bem? E o que faz a sua equipa quando correspondem às suas expectativas?

Sugestão:

Dê-se primeiro feedback a si mesmo e depois treine cada dia dar feedback às pessoas que estão à sua volta. Se não dizermos o que pensamos sobre algo que o outro fez, o outro pode nunca saber que poderia melhorar.

---[ Pub ]---