@Elvasnews/Arquivo
   Publicidade   
   Publicidade   

Sente-se a excitação no ar, à medida que os dias passam e a azáfama se intensifica lá para os lados da Piedade.

   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 

As conversas desaguam na festa e de por todo o lado só se houve falar no São Mateus. Centenas de anos depois, a maior romaria do sul do país continua a marcar a vida da cidade de Elvas e da região.

Enquanto o dia de Pendões não chega e a festa não tem início, a cultura dá o pontapé de saída como já vem sido hábito. Desta feita pela mão de dois elvenses, um nascido e criado, outra adotada mas que sente a cidade como sua.

O primeiro deles, apesar de exercer a sua atividade profissional em Lisboa, na Antena 1, traz a sua Elvas no coração e, assim que pode, foge para a terra natal onde com a sua câmara fotográfica tem inventado e reinventado novos ângulos que valorizam o património edificado e chamam a atenção dos milhares que o seguem nas redes sociais. Este São Mateus fez-se-lhe justiça com uma exposição na Casa da Cultura patente até 12 de Outubro.

José Manuel Silva, “em nome próprio”, expõe nos antigos Paços do Concelho mostrando-nos o Alentejo e as suas cores. Ainda não tive oportunidade de visitar, mas já a tenho agendada para os próximos dias.

Parabéns ao autor.

Nuno Franco Pires
Nuno Franco Pires, escritor

Tânia Morais Rico é o outro nome que marca o arranque cultural do nosso São Mateus. Historiadora e responsável da biblioteca da cidade, a Tânia aceitou o desafio de investigar e produzir um novo documento sobre o culto ao padroeiro: o Senhor Jesus da Piedade.

Pela mão da editora Booksfactory de Paulo Lavadinho, com imagem gráfica de Miguel Silva, apoio do historiador Rui Jesuíno e fotografias do professor Jacinto César, Tânia Morais Rico conta-nos ao longo de cento e algumas páginas a origem da devoção, fala-nos dos ex-votos, mas também da feira e da romaria.

Depois de mais de cinquenta anos sem sair à luz uma publicação que perpetue e dê a conhecer a história da apelidada maior romaria do sul de Portugal, no passado domingo ao fim-da-tarde, tendo o Santuário como companheiro, “Senhor Jesus da Piedade, história de uma devoção” foi dado a conhecer aos presentes e já faz parte da biblioteca cá de casa.

Felicito também a sua autora pela generosidade de valorizar o espólio cultural da cidade.

São cada vez mais os apaixonados por Elvas, nascidos ou adotados, que dedicam algum do seu tempo a acrescentar-lhe valor através das mais diversas formas de expressão, acalentando-nos a esperança de um futuro vivo e promissor, de uma cidadania ativa, construtiva, que a todos deve orgulhar-nos.

Que venha então a festa, revestida de foguetes e morteiros, de bandas de música a entoar o hino do Senhor da Piedade, a devolverem-nos o arrepio da presença, um ano mais, aos seus pés, para agradecer, para pedir ou simplesmente para o reencontrar.

A todos desejo um excelente São Mateus, vivido em festa, no convívio com familiares e amigos, preservando a romaria.

Palavras leva-as o vento.

Artigo anteriorFutsal/Liga Sport Zone: Eléctrico empata a dois na recepção ao Burinhosa
Próximo artigoOnde nasceu o Sol na Via Láctea?
Nuno Franco Pires, nasceu em Elvas em 1975 e é um alentejano orgulhoso das suas raízes. Gosta de escrever – sempre gostou. Começou por pequenas histórias, onde os amigos de infância eram os protagonistas, passando pelo blog Dualidades (asdualidades.blogspot.com) do qual foi coautor e onde abordava temas que marcavam a actualidade. Cativam-no as relações humanas e a interacção entre as pessoas; é sobre elas que escreve. Tem participado e vários concursos literários tendo ganho uma menção honrosa no prémio Glória Marreiros, organizado pela Câmara Municipal de Portimão, com a novela "Amor entre muralhas" escrita em parceria. Participou na colectânea "Ei-los que partem" da editora Papel d' Arroz e com a chancela da Chiado Editora editou o seu primeiro romance, "Searas ao vento". Colaborou com a TV Guadiana, publicando semanalmente, pequenas histórias da sua autoria e incorpora o painel de tertulianos da rúbrica "Conversas de Barbearia" do blog Três Paixões.