Publicidade   
   Publicidade   
“Canto a minha terra, a minha gente ! Este povo que amo , a terra arada, o sol ardente!”, Graça Foles Amiguinho
“Canto a minha terra, a minha gente ! Este povo que amo , a terra arada, o sol ardente!”, Graça Foles Amiguinho

Como dói, no fundo da alma
a dor desconhecida…
Como magoa as veias
a dor desfalecida…
Vem de longe uma ventania
que teima bater na minha porta
e traz consigo forte invernia…
Sinto minhas entranhas feridas
e minha vida cansada.
O desamor expresso
é flor caída, pisada…
A lágrima que já secou
teima rolar apesar de parada…
Cai a noite numa solidão
que lentamente se esvai…
e meu pobre coração
como ave doída, cai….

   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 

Graça Foles Amiguinho

[spacer color=”F54522″ icon=”fa-th” style=”2″]