Início Sociedade Cultura Elvas: Autarquia celebra Prémio A e Colecção António Cachola

Elvas: Autarquia celebra Prémio A e Colecção António Cachola

COMPARTILHE
Ana Cristina Cachola, Fernando Nogueira, Nuno Mocinha e João Louro ©Elvasnews
   Publicidade   
   Publicidade   

A cidade de Elvas acolheu no sábado, 8 de Maio, o encontro que celebrou o património cultural e humano, que se realizou em vários espaços patrimoniais, uma celebração que foi assinalada com o lançamento do catálogo da exposição Smuggling, de João Louro, actualmente patente no Museu de Arte Contemporânea de Elvas (MACE).

Catálogo Smuggling ©Elvasnews
Catálogo Smuggling ©Elvasnews

O programa contemplou uma visita guiada ao Museu, acompanhada pela curadora Ana Cristina Cachola e pelo artista João Louro, seguindo-se o lançamento do catálogo, no Forte da Graça, e uma visita guiada a esta que é a obra maior da arquitectura militar, e culminou com o jantar comemorativo do Prémio A ao Coleccionismo atribuído pela Fundación Arco à Colecção António Cachola, neste monumento nacional.

Nesta iniciativa, para além do presidente da Câmara Municipal de Elvas, marcaram presença Fernando Nogueira, da Fundação Millenium BCP; Ceia da Silva, presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo/Ribatejo; Ana Paula Amendoeira, Directora Regional de Cultura do Alentejo; Carlos Urroz, director da ARCO Lisboa; António Franco, director do MEIAC; José Liam coleccionador de arte contemporânea; representante da Fidelidade, mecenas do MACE; assim como vários artistas e galeristas nacionais, numa homenagem ao coleccionador António Cachola.

©Cláudio Monteiro
Prémio A à Colecção António Cachola ©Cláudio Monteiro

O encontro serviu ainda para dar a conhecer as iniciativas que o MACE e a Colecção António Cachola vão realizar, brevemente, em Elvas e noutros locais do país, como a participação no programa oficial da primeira edição da feira ARCO Lisboa, que decorre de 25 e 29 de Maio.

Recorde-se que o Prémio A ao coleccionismo foi atribuído à colecção António Cachola, a 23 de Fevereiro, no âmbito da realização da 35ª edição da Feira Internacional de Arte Contemporânea ARCO Madrid.

Uma distinção inédita em Portugal que destaca a obra e o percurso do coleccionador elvense, dedicado nos últimos 25 anos à criação de uma colecção que hoje reúne mais de seiscentas obras e permite expor em permanência na sua cidade natal artistas contemporâneos portugueses. A atribuição do Prémio A à Colecção António Cachola prestigia Elvas e o MACE, contribuindo para projectar o museu municipal que acolhe e expõe a colecção, tal como a própria cidade, o seu património e oferta cultural, no circuito artístico português e internacional.

A colecção António Cachola começou a ser construída no início da década de 1990 e reflecte os últimos 25 anos da criação artística visual realizada por artistas portugueses, que começaram a expor pública e regularmente a partir da década de 1980. A colecção propõe uma cartografia dinâmica do sistema da arte português e resulta de um movimento constante de aproximação do coleccionador a artistas e instituições. Desde o início que uma vontade pessoal de coleccionar, foi acompanhada pela determinação em conferir uma dimensão pública à colecção e, assim, em 2007, nasce em Elvas, cidade património mundial da Unesco, o Museu de Arte Contemporânea de Elvas (MACE), instituição com tutela municipal que acolhe em depósito a Colecção António Cachola.

A colecção foi desenvolvendo uma estratégia mista de aquisições, quer alargando o espectro de artistas que a integram, quer acompanhando o percurso de alguns artistas de forma intensiva, assumindo, assim, uma composição intergeracional e interdisciplinar. Sem limites técnicos ou temáticos, a Colecção António Cachola está em contínuo crescimento e é composta por mais de seiscentas obras de mais de uma centena de artistas.

   Publicidade   
   Publicidade