©CME
   Publicidade   
   Publicidade   

Em conferência de imprensa, realizada esta sexta-feira, 8 de Julho, o presidente da Câmara Municipal de Elvas (CME), Nuno Mocinha, afirmou que o Município se congratula “por estarem a ser dados passos certos para a consolidação dos serviços e valências do Hospital de Santa Luzia.”

   Publicidade   
   Publicidade   

O autarca diz que “este é o primeiro passo para que sejam reforçados os serviços do Hospital de Elvas”, e referiu ainda que “estas recomendações vêm ao encontro daquilo que os utentes do hospital pretendem.”

As declarações surgem após a aprovação, na Assembleia da República, de recomendações ao Governo, apresentadas pelo Partido Socialista, Partido Comunista Português e Bloco de Esquerda, que apontam para o crescimento e consolidação do nosso hospital.

Nos projectos de moção apresentados pelos partidos, recomenda-se ao Governo que o Hospital de Santa Luzia (HSL) veja consolidadas as valências médicas que disponibiliza às populações e também que o Serviço de Urgência seja adequado às necessidades, tendo em conta as características geográficas da região, mantendo as valências de Cirurgia e Ortopedia.

Recomenda-se também que as unidades de saúde dos concelhos mais próximos pertencentes ao distrito de Évora permitam aos seus utentes o recurso aos cuidados de saúde do HSL, em especial consultas e meios complementares de diagnóstico e terapêutica.

Os partidos indicam ainda que sejam promovidas acções para prestação de cuidados de saúde a residentes na Estremadura espanhola, que aguardam em listas de espera, com a rentabilização dos recursos existentes e capacidade instalada nesta unidade hospitalar.

A articulação entre os hospitais de Elvas, Portalegre e Évora, no sentido de alargar a resposta às necessidades dos utentes, respeitando a proximidade como critério de acessibilidade é outro dos pontos em foco nas recomendações feitas por PS, PCP e Bloco de Esquerda.

Pedem ainda o estabelecimento de critérios que melhorem as respostas aos utentes, contrariando lógicas de disputa de utentes entre serviços públicos e que seja feito o levantamento de intervenções de requalificação do edifício do hospital e definido o calendário de realização das obras.

Por último aconselham que sejam desenvolvidas acções para a contratação de profissionais necessários ao funcionamento do hospital, sejam médicos, enfermeiros ou assistentes técnicos.

De referir que a CME tem vindo a acompanhar todo o processo relacionado com a consolidação dos serviços e valências do HSL e, por diversas vezes, tem informado do avanço deste assunto, tão importante para as populações do concelho e da região e para os profissionais de saúde da unidade hospitalar elvense.