Opinião - Graça Foles Amiguinho
   Publicidade   
   Publicidade   

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades…” como dizia o nosso grande e imortal poeta Luís Vaz de Camões!

   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 

Hoje, a minha linda cidade de Elvas, uma das mais preciosas pérolas da raia alentejana, marcada no passado pela guerra, devido à sua posição estratégica, junto à fronteira com Espanha, é Património da Humanidade, reconhecida pela UNESCO, em junho de 2012.

O programa transmitido pela RTP, no passado domingo, não passou despercebido, creio eu, porque mostrou ao Mundo a beleza, a graciosidade, a imponência, a sua história monumental e quanto tem sido valorizada, ao longo dos últimos anos, a minha linda cidade de Elvas.

Uma vontade de percorrer o seu vasto património, domina quem a vê, tão majestosa e acolhedora, com tantos atrativos, quer monumentais, militares ou religiosos, complementados com as incomparáveis iguarias tradicionais, os seus manjares baseados na deliciosa carne Alentejana e os famosos doces, entre os quais, a Sericaia é rainha, enfeitada com as doces ameixas “Rainha Cláudia”.

Tudo em Elvas nos desperta curiosidade e o desejo imenso de percorrer as suas ruas estreitas, parar no centro, na enorme Praça da República, ou visitar o que a rodeia.

Subir ao Forte da Graça e poder observar, num ângulo de 360º, a paisagem circundante, com um horizonte a perder de vista, até à vizinha Badajoz, é uma sensação incrível de liberdade e grandiosidade.

Como referi no princípio da minha crónica, na verdade, Elvas moderna não está só, nem tem inimigos à sua volta!

Elvas estendeu os seus braços e abraçou Campo Maior e Badajoz, formando com estas duas cidades, a nova Eurocidade Badajoz-Elvas-Campo Maior, num intercâmbio e união cultural, económica e turística, que poderão, ao longo dos tempos, alcançar um maior progresso em toda a região, permitindo melhores condições de vida às suas gentes.

Foi muito interessante o que nos foi transmitido, sem sombra de dúvida, querendo aqui realçar o lançamento de um Hino da Eurobec, cantado por três jovens das três cidades. Muito bonito.

Porém, a grande novidade, revestida de esperança, foi-nos dada pela Dra Susana Teixeira, em traços largos, falando de um Projeto Piloto da Unesco sobre Indicadores Temáticos para a Cultura.

Para me sentir à vontade e ter a certeza de poder falar deste Projeto Inovador, procurei fontes fidedignas, para vos poder dar uma informação precisa sobre a notícia que tanto despertou a minha atenção e curiosidade.

Assim, poderei adiantar que a nossa cidade de Elvas será a representante de Portugal, o único país da Europa, a fazer parte deste Projeto, em virtude de ter aceite o convite endereçado pelo Embaixador José Filipe Moraes Cabral, ao Presidente da Câmara Municipal de Elvas, Dr Nuno Mocinha.

Quais as razões da escolha da nossa cidade de Elvas?

1-Porque é uma cidade Património da Humanidade, condição exigida para poder participar.

2- Por ser uma cidade do interior

3- Por ter uma baixa densidade populacional

4-Por ter uma população envelhecida e menos qualificada

5- Porque os apoios recebidos são, quase sempre, menores

Estas cinco razões conduziram-nos a integrar a lista, na qual participam outros cinco países:

Burkina Faso, Vietname, Costa Rica, Marrocos e Roménia.

Este Projeto Piloto da UNESCO sobre os Indicadores Temáticos para a Cultura consta da Agende 2030.

Essa Agenda 2030 procura fazer uma abordagem das vertentes do Desenvolvimento Sustentável, a vários níveis: social, económico e ambiental.

Somos levados a concluir que se trata de um plano de ação a favor das pessoas e do planeta, com base nas seguintes áreas:

PESSOAS, PROSPERIDADE, PLANETA, PAZ e PARCERIAS.

Quais os objetivos principais deste plano?

Erradicar todas as formas de pobreza

Combater as desigualdades sociais

Combater as alterações climáticas

Sendo a Cultura, na sua forma mais abrangente, a melhor forma de atingir os objetivos da Agenda 2030, em 2019, a UNESCO apresentou 22 indicadores para que a referida Agenda seja viável e atinja as metas definidas, agrupando-os em 4 sectores:

Ambiente e Resiliência

Prosperidade e Condições de Vida

Conhecimentos e Competências

Inclusão e Participação

Poderemos considerar um projeto complexo, mas acreditamos que a sua duração de 12 meses poderá trazer grandes benefícios à nossa região e uma melhoria significativa de vida da sua população, com o objetivo de abrir portas à Cultura, ao gosto de saber, mais oportunidades e aproveitamento de capacidades que, muitas vezes, por falta de meios, ficam atrofiadas.

Queremos a nossa Elvas do futuro mais confiante, mais alegre e participativa, desbravando caminhos, abrindo portas para novos horizontes.

Eu amo Elvas!

---[ Pub ]---