Xénia Guerreiro e Carlos Quelhas são os novos gerentes do Intermarché de Elvas ©Elvasnews
   Publicidade   
   Publicidade   

Nesta sexta-feira, 8 de Julho, a loja Intermarché da cidade Património Mundial deu a conhecer os novos gestores deste espaço comercial do Grupo Mosqueteiros: Xénia Guerreiro e Carlos Quelhas vão ser, a partir do primeiro dia de Agosto, os novos gestores da loja Intermarché de Elvas.

   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 

O nosso compromisso com a sociedade elvense
* Fazer um trabalho de continuidade na gestão da empresa;
* Conservar o envolvimento na comunidade;
* Manter condições e motivação dos colaboradores

Naturais da Covilhã, o casal Xénia Guerreiro e Carlos Quelhas garantem “manter tudo como está nos próximos seis meses”. Carlos não tem dúvidas que “em equipa que ganha não se mexe” e como tal “a palavra de ordem é continuidade. O empresário assume igualmente manter o “grande compromisso para com a população de Elvas”, referindo que “a nossa escolha para este lugar foi de encontro ao compromisso assumido com a comunidade local”.

Os nossos compromissos:
– Os Melhores Preços Garantidos;
– Uma Grande Variedade de Produtos;
– A Qualidade dos Nossos Frescos;
– Um Programa de Apoio à Produção Local

O casal já está em Elvas, há duas semanas e tiveram oportunidade de conhecer, e estão radiantes “apanhámos no fim-de-semana passado a Feira Medieval, estamos a gostar muito de morar cá, são só duas semanas é verdade mas pensávamos que iria ser mais difícil a mudança mas até agora temo-nos sentido em casa”, disse Carlos Quelhas que rematou “as pessoas têm sido muito amáveis para connosco”.

Ernesto Cunha salientou que esta foi “uma decisão um bocado ponderada […] uma decisão que a mim me custa bastante” mas não se trata de um até sempre e o empresário apesar de ficar “triste” não vai abandonar a cidade. Vai-se “manter aqui com um negócio mais pequeno” esperando “no futuro desenvolver outras actividades empresariais aqui na cidade porque a verdade é que eu sinto-me mesmo muito bem, sinto-me quase em casa, em Elvas, e como tal quero por aqui continuar”.

Ernesto Cunha