Início Galerias História Elvas – Recantos com história: Fonte de São Lourenço

Elvas – Recantos com história: Fonte de São Lourenço

COMPARTILHE
Fonte de São Lourenço ©Manuel Martins
   Publicidade   
   Publicidade   

A fonte que hoje nos ocupa e que podemos admirar, ao cimo da rua do mesmo nome, foi construída sobre uma outra -começada a construir em 1626 e terminada no ano seguinte- que tinha na altura, pouco mais de cem anos.

Era então Provedor da Câmara o desembargador Bernardes Xavier de Barbosa Lachette, pessoa muito vaidosa que quis imortalizar o seu nome, ligando-o a uma obra monumental.

Encarregou o Eng da Praça, General francês e Governador interino da Província do Alto Alentejo, Guilherme Luís António Valleré, de lhe fazer os planos para a nova fonte, cuja planta parece que era igual a uma outra existente em certa cidade francesa.

O traçado era magnífico e só a figura de Astréia (que deveria ficar ao centro, ladeada por 4 estátuas) era tão grandiosa que importou em 700 mil réis, quantia elevadíssima nesse tempo. Para o pedestal dessa estátua, deveria fazer-se uma inscrição em latim e o desembargador, que foi quem a escreveu, entendeu que, por isso, deveria assenhorar-se de todas as honras, Valleré, com razão, entendeu que esse título lhe pertencia, por ser ele o Governador da Província.

A dissidência agravou-se e como resultado o General abandonou os trabalhos e arrecadou os planos para si, e assim, o desembargador e os seus artífices, impossibilitados de continuar a obra, deixaram-na incompleta.

As estátuas que se encontravam, desse então, na Quinta de Santo António, foram adquiridas pela Câmara Municipal de Elvas em 2005 altura em que terminou a obra. A fonte é constituída por três bicas de onde jorra a água para um tanque rectangular, e no cimo das quatro colunas encontram-se as quatro estátuas.

   Publicidade