Assinatura do Auto de Consignação da empreitada do troço Alandroal/Elvas
   Publicidade   
   Publicidade   

A cerimónia de assinatura do auto de consignação da empreitada do troço Alandroal/Elvas, da linha Évora – Caia, teve lugar esta segunda-feira, 4 de Novembro, no Salão Nobre dos Paços dos Concelho de Elvas.

   Pub 
   Pub 

A assinatura dos documentos foi presidida pelo ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, e contou com a presença de autarcas da região, entidades civis e militares, bem como de altos responsáveis do governo da Extremadura, nomeadamente a directora geral de Transportes, Eva Velasco, e o Alcaide de Badajoz, Francisco Fragoso.

A empreitada consiste na construção do troço ferroviário entre o Alandroal e Elvas, e que se traduz numa secção de 38 quilómetros que será integrada no corredor Sines–Badajoz e denominado Corredor Internacional Sul, tendo a empreitada sido adjudicada à empresa Sacyr por 130,5 milhões de euros.

O presidente da Câmara Municipal de Elvas, Nuno Mocinha, salientou a “importância deste ato, que permite avançar com mais uma área do troço Sines-Caia da ferrovia, dinamiza a economia local, quer a nível de emprego, quer financeiro”.

A obra contempla mais de 38 quilómetros de plataforma de via férrea, 26 obras de arte correntes e 15 obras de arte especiais, com um prazo de execução de 28 meses.

Recorde-se que em Março de 2018, o Primeiro-ministro, António Costa, celebrou em Elvas o lançamento do concurso público do troço Évora Norte – Freixo, naquele que considerou o “maior investimento na linha férrea dos últimos 100 anos” e vai ligar Évora e Elvas, num total de 530 milhões de euros de investimento e que tem como objectivo servir o transporte de mercadorias entre Sines e Espanha.

A apresentação do projecto coube à Infraestruturas de Portugal, tendo o ministro das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos, referido que “é um investimento no futuro e para a modernização da linha ferroviária, sendo este o maior troço construído nos últimos 100 anos”.

A empresa Infraestruturas de Portugal prevê que a nova linha esteja terminada em Dezembro de 2023.

Com o final do projecto, o percurso entre Sines e Caia será reduzido em 140 quilómetros, e 3.30 horas em tempo, possibilitando ainda a circulação de comboios de mercadorias com 750 metros, em via única electrificada, ficando assim preparada para receber a bitola europeia.