Eichhornia-crassipes-
   Publicidade   
   Publicidade   

As espécies invasoras são a 5ª ameaça à biodiversidade a nível global. Com o objectivo de aumentar a sensibilização e conhecimento da população sobre este problema, o Centro de Ecologia Funcional vai promover, de 10 a 18 de Outubro, a 1ª Semana Nacional sobre Espécies Invasoras (SNEI).

   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 

Esta iniciativa da Plataforma Invasoras.pt do Centro de Ecologia Funcional, que reúne investigadores do Departamento de Ciências da Vida da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) e da Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Coimbra (ESAC-IPC), conta com a participação de mais de meia centena de entidades, entre instituições públicas e privadas, associações, grupos informais, etc., como é o caso de vários municípios, institutos de investigação e ensino superior, associações de defesa do ambiente e centros Ciência Viva.

No seu conjunto, ao longo desta semana, organizam perto de 100 actividades, a decorrer de norte a sul do continente e ilhas dos Açores e Madeira. Muitas acções são online, permitindo a participação à distância. Entre as várias actividades, incluem-se acções de controlo de espécies invasoras no terreno, palestras, workshops e percursos pedestres para mapeamento de espécies invasoras. Os públicos-alvo são variados (público em geral, alunos de diversos graus de ensino, autarquias, técnicos ligados à conservação da natureza e gestão florestal e de áreas verdes, professores, etc.).

Eichhornia-crassipes-Ereira-Nov2019-EMarchante2As espécies invasoras, explicam os investigadores que promovem a 1ª Semana Nacional sobre Espécies Invasoras, «são uma das principais ameaças à biodiversidade a nível global, mas uma grande parte dos cidadãos desconhece esta ameaça ambiental. Em Portugal, de acordo com a legislação nacional (Decreto-Lei nº 92/2019), estão listadas mais de 300 espécies exóticas invasoras, entre plantas e animais, como é o caso da mimosa, do jacinto-de-água, da vespa-asiática ou do lagostim-vermelho-do-Louisiana. A nível global, as espécies exóticas invasoras são a 5ª ameaça à biodiversidade, de acordo com a IPBES (Intergovernmental Platform on Biodiversity and Ecosystem Services), além de promoverem outros impactes significativos a nível ambiental, assim como a nível socioeconómico».

No âmbito dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável estabelecidos pelas Nações Unidas, acentuam, «o objectivo 15.8 prevê implementar medidas para evitar a introdução e reduzir significativamente o impacte de espécies exóticas invasoras nos ecossistemas terrestres e aquáticos, e controlar ou erradicar as espécies prioritárias. Os cidadãos têm um papel relevante não só na prevenção das invasões biológicas, mas também na mitigação dos seus impactes, pelo que é crucial aumentar a sensibilização sobre este tema».

Com a realização da SNEI, os investigadores do Centro de Ecologia Funcional da UC & IPC esperam aumentar a visibilidade desta temática ambiental junto do público em geral, mas também dos principais atores que lidam com estas espécies a nível profissional e político.

Mais informação: https://www.invasoras.pt/pt/semana_nacional_especies_invasoras_2020
Lista de actividades (em actualização): https://www.invasoras.pt/pt/actividades-em-portugal