Estágios-de-Verão-Ciência-Viva
   Publicidade   
   Publicidade   
   Publicidade   

Os Estágios de Verão Ciência Viva são uma oportunidade única para os estudantes do ensino secundário e profissional terem um contacto directo com o trabalho realizado nos centros de investigação e nas empresas com I&D (actividades de investigação e desenvolvimento).

   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 

Num contexto real de trabalho e através da aquisição de competências do raciocínio científico, os participantes irão preparar-se para os desafios futuros do mundo profissional.

Os estágios decorrem entre 13 de Julho e 11 de Setembro, têm a duração mínima de 15 dias e podem prolongar-se até um mês. A cada aluno será atribuído um subsídio com o valor máximo de 400€.

Esta iniciativa da Ciência Viva conta com mais de 40 estágios em 18 instituições científicas, num total de 138 vagas. Mais informações seguindo este link.

DESTAQUES

Porto · Instituto de Investigação e Inovação em Saúde – I3S

“Bactérias Fluorescentes”

13 de Julho a 24 de Julho

Os estudantes serão integrados na equipa do Laboratório Aberto – Ipatimup/i3S. O objectivo do estágio é desenvolver as técnicas básicas de Biologia Molecular, Engenharia Genética e Microbiologia como a produção e manutenção de meios de cultura para microrganismos, cultura bacteriana, transformação bacteriana com recurso a plasmídeos, manipulação de microrganismos, extracção de proteínas, observação, recolha de resultados e a sua interpretação.

Porto · Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental – CIIMAR

“Observação de golfinhos na Foz do Douro”

13 de Julho a 13 de Agosto

Neste estágio todos os participantes serão integrados num programa de monitorização e observação de cetáceos, mais especificamente de golfinhos na zona costeira do Norte de Portugal, a partir de terra. Os estudantes terão como tarefas a observação e a organização de dados relacionados com o registo fotográfico, comportamentos, presença de barcos de pesca ou dados meteorológicos com influência nas espécies observadas na Foz do Rio Douro.

Vila Real · Centro de Investigação e de Tecnologias Agro-Ambientais e Biológicas – CITAB

“Análise Microbiológica e Perfil de Susceptibilidade a Antibióticos de Águas de Rios e Bivalves: Impacto ambiental”

15 de Julho a 15 de Agosto

Este projecto contempla a observação de amostras biológicas de diferentes espécies de bivalves de água doce, a análise da qualidade de águas de afluentes do Rio Douro e o contacto com alguns métodos de recolha e de análises microbiológicas.

Faro · Universidade do Algarve – Centro de Ciências do Mar do Algarve – CCMAR

“Novos anti-inflamatórios de origem marinha para aplicação terapêutica e cosmética”

15 de Julho a 7 de Agosto

Os estudantes irão participar em estudos realizados em células da epiderme (queratinócitos), que pretendem avaliar a actividade anti-inflamatória de extractos de microalgas para assim determinar o seu potencial terapêutico/cosmético.

Matosinhos · CEIIA – Centro para a Excelência e Inovação na Indústria Automóvel

“O caminho para o futuro sustentável do planeta”

19 Julho a 31 de Julho

Este Programa de Líderes Tecnológicos do Futuro é focado no desenvolvimento e valorização de novas soluções com impacto positivo na sustentabilidade e qualidade de vida no planeta. Em todo o processo do estágio serão também apreendidas competências soft de liderança, gestão e comunicação.

Pampilhosa da Serra · Instituto de Telecomunicações – IT – Aveiro

“Ciber-Cosmos – o céu à distância de um clique”

29 de Julho a 15 de Agosto

O aluno irá trabalhar na configuração do eVscope (telescópio com sensor digital), que será gerido a partir de um smartphone com base nas coordenadas GPS e no mapa de estrelas interno deste equipamento. Medirá também as condições de observação naturais e a poluição luminosa.

Lisboa · Instituto de Ciências Sociais – ICS

“Os Objectivos do Desenvolvimento Sustentável pela lente das ciências sociais”

10 a 14 de Agosto

Os jovens irão trabalhar em projectos que o ICS tem em curso sobre ODS, pesquisar e analisar dados, fazer trabalho de campo sobre o tema e experimentar as ferramentas disponíveis, como é o caso de um jogo inspirado neste tema.

Ciência na Imprensa Regional – Ciência Viva