Estudantes europeus voltam a lançar foguetões em Ponte de Sor e Santa Margarida

European-Rocketry-Challenge-(EuRoC)
   Pub   
   Pub   

A terceira edição do European Rocketry Challenge (EuRoC), concurso europeu de lançamento de foguetões, reúne este ano 21 equipas em Ponte de Sor (Portalegre) e no Campo Militar de Santa Margarida (Santarém), foi hoje divulgado.

Com a participação de estudantes universitários europeus, o concurso promovido pela Agência Espacial Portuguesa, vai este ano decorrer entre os dias 11 e 18 de Outubro.

Em comunicado enviado à agência Lusa, a Agência Espacial Portuguesa recorda que o EuRoC surgiu em 2020, sendo “uma das várias apostas” daquela entidade na área da educação e “um dos pilares estratégicos” da sua actuação desde a fundação, em 2019.

 Pub 
 Pub 

“A Agência Espacial Portuguesa, que vê nesta aposta nos jovens o futuro do ecossistema espacial português, tem como objectivo promover e fortalecer o sector espacial em Portugal, para benefício da sociedade e da economia nacional e internacional”, pode ler-se no documento.
Citado no comunicado, o presidente da Agência Espacial Portuguesa, Ricardo Conde, sublinha que a “multidisciplinaridade” do sector espacial é “uma das oportunidades de crescimento” do ecossistema e uma “mais-valia” que a agência tem procurado promover, nomeadamente ao “valorizar a diversidade de disciplinas” na constituição das equipas participantes no EuRoC.
“Provenientes de diversas áreas de conhecimento, que vão desde as engenharias à gestão, do cinema à biologia, as equipas representam um microcosmo do que é a realidade no sector”, refere.
O responsável acrescenta ainda que o EuRoC “cresceu e consolidou-se” nos últimos anos, sendo hoje “inegavelmente” um concurso de “referência” para estudantes universitários europeus.
O presidente da Agência Espacial Portuguesa acrescenta ainda que, apesar de todo o progresso alcançado nos últimos 20 anos, o sector espacial nacional “tem ainda grandes desafios e barreiras” de modo a aumentar a sua dimensão, influência e competitividade, designadamente em termos do impacto da capacidade instalada na economia e na sociedade.