Início Sociedade Faleceu o Major-general António Luís Picão de Abreu

Faleceu o Major-general António Luís Picão de Abreu

COMPARTILHE

Faleceu na quinta-feira, 14 de Março, o Major-general elvense António Luís Serra Picão de Abreu.

Nasceu em Lisboa a 26 de Junho de 1940, na maternidade Alfredo da Costa. Com ascendência alentejana, era filho de Francisco da Silva Picão de Abreu, natural de Elvas, e de Maria Amélia da Gama Serra, natural de Campo Maior.

Casou em 1965 com Maria Fernanda Amado Soares da Costa (1942), com quem teve dois filhos: o João em 1966 e a Leonor em 1967.

Fez os estudos primários e liceais até ao 2º ciclo em Elvas e frequentou o 3º ciclo no Liceu Nacional de Évora. Incorporado na Academia Militar em 1959, sem antecedentes militares, completou o Curso de Cavalaria em 1964.

Foi promovido sucessivamente a Alferes (1964), Tenente (1966), Capitão (1968), Major (1978), Tenente-Coronel (1984), Coronel (1990) e Major-general (1995).

Frequentou o Estágio de Actualização para Tenente do QP (1968), o Curso Geral de Comando e Estado-maior (1979/80), o Curso de Estado-maior (1985/86) e o Curso Superior de Comando e Direcção (1995/95), todos com a classificação de Bom.

Obteve a aptidão em Pára-quedismo Militar no Centro de Instrução de Grupos Especiais em Moçambique (1972).

Transitou para a situação de reserva em 1999 e de reforma em 2004.

Prestou serviço em várias unidades da sua Arma, designadamente: na Escola Prática (1964/68); no Regimento de Cavalaria 3 (1976/77) como Comandante de Esquadrão; no Regimento de Lanceiros de Lisboa (1983/86) como Comandante do Grupo de Polícia do Exército; no Regimento de Cavalaria 4 como Comandante do Grupo de Carros de Combate/1ª BMI, como 2º Comandante do Regimento (1988/89) e como Comandante do Regimento (1992/94).

Serviu em funções docentes na Academia Militar (1978/81 e 1990/92), na Escola de Sargentos do Exército (1981/83) e no Instituto de Altos Estudos Militares (1995).

Desempenhou funções de estado-maior no Quartel-General da Região Militar de Lisboa (1986/88) e no Estado-Maior do Exército (1989/92).

Como Oficial General desempenhou as funções de 2º Comandante da Academia Militar (1996/97) e de Inspector-Geral da Guarda Nacional Republicana (1997/99).

Cumpriu duas comissões de Serviço no Ultramar, na província de Moçambique. No comando da Companhia de Cavalaria 2417 (1968/70), louvada em Ordem do Exército pela “forma excepcionalmente valorosa como serviu as Forças Armadas e a Pátria” e no Centro de Instrução de Grupos Especiais e Grupos Especiais Pára-quedistas (1970/74).

Tem averbados 16 louvores individuais (sendo 11 de Oficial-General e 1 de Ministro).

Foi condecorado com a Medalha de Cruz de Guerra de 1ª Classe, uma Medalha de Ouro de Serviços Distintos e duas de Prata, com as Medalhas de Mérito Militar de 1ª, 2ª e 3ª classe, Medalha de Ouro e Prata de Comportamento Exemplar e foi ainda agraciado com o grau de Comendador da Ordem Militar de Avis pelo Presidente da República.