Publicidade   
   Publicidade   

No passado sábado, dia 27 de Fevereiro, às 13h19, uma fêmea de lince ibérico, Juromenha, pariu três crias, fruto do seu emparelhamento com Juncabalejo.

   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 

Juromenha, filha da Biznaga e do Drago, é a primeira fêmea nascida no CNRLI a parir dentro do Programa de Conservação Ex Situ do Lince Ibérico e um dos dois primeiros linces-ibéricos criados artificialmente com êxito pela equipa técnica do CNRLI.

De acordo com o ICNF este foi o terceiro parto de Juromenha, de nove anos, que teve um total de cinco crias até este ano fruto de duas gestações anteriores. Com estas três novas crias Juromenha eleva o seu contributo para a conservação do lince-ibérico às oito crias. O parto de correu de forma normal e Juromenha presta os cuidados adequados às suas novas crias.

Juncabalejo, também de nove anos, chegou ao CNRLI em 6 de Novembro de 2020, tendo-se adaptado perfeitamente ao CRNLI e aos seus novos vizinhos e tratadores. Filho de Boj e Damán, nasceu no Centro de Cría de Lince Ibérico El Acebuche. Foi posteriormente movido para o Centro de Cría de Lince Ibérico Zarza de Granadilla onde foi emparelhado cinco vezes produzindo um total de 18 crias antes de 2021.

Como ponto alto foi pai com Fábula (em 2016) da segunda ninhada de 5 crias das duas registadas no Programa de Conservação Ex Situ do Lince Ibérico até ao momento (a primeira foi da Fruta e do Drago no CNRLI, em 2013).

Juncabalejo chega assim, aos nove anos, às 21 crias de lince-ibérico produzidas no Programa.