Festas do Povo - Campo Maior
©Elvasnews/Arquivo
   Publicidade   
   Publicidade   

Os “cabeças de rua” foram homenageados, esta noite, nas Festas do Povo de Campo Maior, por representarem o espírito de trabalho e determinação de todos os campomaiorenses. A homenagem teve lugar no palco principal, junto ao Hotel Santa Beatriz.

   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 

Escolhido pelos moradores de cada rua, é ao “Cabeça” que cabe orientar, distribuir tarefas e escolher o local para a realização dos trabalhos.

O presidente da Câmara Municipal de Campo Maior, Ricardo Pinheiro, assinalou que a homenagem aos “cabeça de rua” era também uma homenagem aos “milhares de campomaiorenses que participaram, de forma altruísta, na construção destas grandes Festas”.

Ricardo Pinheiro destacou a qualidade dos trabalhos, que voltaram “a deslumbrar o mundo”, acrescentando que “se hoje este evento já atrai atenções um pouco por todo o lado (…), a classificação como Património Cultural Imaterial da Humanidade vai levar as Festas do Povo aos quatro cantos do mundo, tal como aconteceu, por exemplo, com o Fado e o Cante Alentejano”.

O presidente da Associação das Festas do Povo, João Rosinha, salientou que “aos ‘cabeças de rua’, homens e mulheres, coube sempre uma das tarefas mais difíceis, que é a de planear, orientar e dirigir os trabalhos da sua rua, fazendo-o de forma harmoniosa e conciliadora.

João Rosinha disse que esta homenagem deve ser feita sempre que organizem festas, porque é a forma de homenagear “toda a população de Campo Maior”.

Terça-feira - Apresentação da candidatura (37)Na passada terça-feira, dia 25 de Agosto, realizou-se a cerimónia oficial da entrega do dossier da candidatura das Festas do Povo de Campo Maior a Património Cultural Imaterial da UNESCO. O dossier foi simbolicamente entregue ao presidente da Câmara Municipal de Campo Maior, Ricardo Pinheiro, por António Ceia da Silva, presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo, o organismo que lidera a candidatura, e será agora entregue pelo Município ao Ministério dos Negócios Estrangeiros, que formalizará a candidatura junto da UNESCO.

A última edição das Festas do Povo foi premiada pelo Turismo de Portugal como o evento do ano 2011. O actual modelo das Festas realizou-se por 20 vezes. Em apenas 15 anos, entre 1989 e 2004, o número de visitantes das Festas do Povo duplicou. O sucesso de todas as edições deve-se à surpreendente diversidade da decoração das ruas, de beleza inigualável. A arte das flores de papel e as Festas do Povo de Campo Maior são um Património cultural único no Mundo.

O impacto económico, social e cultural das Festas do Povo tem efeitos num raio de 100 km em torno de Campo Maior, prestando um forte contributo para dinamizar vários sectores do concelho e dos concelhos vizinhos, conferindo uma visibilidade e notoriedade elevada ao Alentejo.

Nesta edição das Festas do Povo, o estacionamento é gratuito nos parques oficiais. As entradas têm o valor de 4 euros por visitante, excepto crianças até aos 10 anos, que se encontram isentas de pagamento. O passe de nove dias custa 10 euros. Parte das receitas angariadas com as entradas revertem a favor das instituições de solidariedade social do concelho de Campo Maior.

A realização das Festas do Povo consiste na decoração das ruas de Campo Maior, sobretudo o Centro Histórico, com flores de papel e outros objectos em cartão e papel, feitos pela população. É uma celebração que, por tradição, só acontece quando o povo quer, pois a sua realização depende do voluntariado e da força de vontade dos campomaiorenses. A preparação é feita rua a rua, sendo que o trabalho desenvolvido em cada uma delas fica em segredo, mesmo para amigos e familiares dos moradores, e só é dado a conhecer na noite da “enramação”.

[spacer color=”8BC234″ icon=”fa-th-list” style=”3″]