Francisco Cambournac
   Publicidade   
   Publicidade   

Francisco Cambournac (1903-1994) foi um médico tropicalista que se destacou na erradicação da Malária em Portugal, com o patrocínio da Fundação Rockefeller. Dois investigadores, Rita Lobo e João Lourenço Monteiro, do Centro Interuniversitário da História das Ciências e Tecnologia (CIUHCT), orientados pela professora Isabel Amaral, descobriram novos documentos que ajudam a compreender o percurso internacional deste médico, num artigo publicado esta semana na revista científica “Anais do Instituto de Higiene e Medicina Tropical”.

   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 

Questionados sobre o processo que teria levado Cambournac a exercer funções na Organização Mundial de Saúde (OMS), Rita Lobo lembrou-se de consultar o Arquivo Histórico-Diplomático do Ministério dos Negócios Estrangeiros. Cruzando dezenas de documentos, os investigadores encontraram uma resposta. Este artigo ajuda a compreender as entidades que estiveram envolvidas na escolha de Cambournac para as funções que viria a assumir, os critérios utilizados na sua escolha no circuito nacional e internacional, as suas motivações pessoais e, como decorreu todo o processo. Este estudo vem assim estabelecer uma narrativa complementar na história da medicina tropical portuguesa no século XX, à qual a figura de Cambornac e a sua passagem pela OMS estão associadas.

Os resultados indicam que a proposta de nomeação do médico português resultou da apresentação do seu nome, primeiro, a título oficioso por parte de delegados de instituições internacionais e, posteriormente, da diplomacia portuguesa. Para Cambournac, o cargo daria continuidade à actividade que já vinha a desenvolver. Os serviços prestados pelo médico português foram valorizados e elogiados internacionalmente, o que lhe permitiu cumprir dois mandatos como director do Bureau Regional Africano da OMS, entre 1954 e 1964.

A revista científica em que este trabalho foi apresentado, muito consultada por investigadores ligados à medicina tropical, viria a tornar-se conhecida do grande público ao ter sido mencionada na série televisiva Dr House.

Referência ao artigo:

Rita Lobo & João Lourenço Monteiro, “A trajetória de Francisco Cambournac na Organização Mundial de Saúde (1952-1964)”, Anais do Instituto de Higiene e Medicina Tropical, vol. 16, 2016, pp. 133-140, ISSN: 0303-7762

© 2016 – Ciência na Imprensa Regional / Ciência Viva