GNR - Viajar sem pressa
   Publicidade   
   Publicidade   

A Guarda Nacional Republicana (GNR) realizou, de 13 a 19 de Agosto, uma operação de fiscalização rodoviária intensiva de controlo da velocidade, em todo o território nacional, com o objectivo de promover comportamentos mais seguros por parte dos condutores e a diminuição da sinistralidade rodoviária grave.

   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 

Nesta operação foram empenhados militares dos Destacamentos de Trânsito dos Comandos Territoriais e da Unidade Nacional de Trânsito, que estiveram especialmente atentos ao excesso de velocidade, um factor que potencia a ocorrência de acidentes e o agravamento das suas consequências. No decorrer da operação, do militares da Guarda controlaram 207 782 veículos, dos quais 4 585 em excesso de velocidade.

No que diz respeito à sinistralidade rodoviária, foram registados:

·        1.528 acidentes;
·        Sete vítimas mortais;
·        27 feridos graves;
·        472 feridos leves.

Desde o 1 de Janeiro até 19 de Agosto, a GNR registou uma considerável descida dos números relativos à sinistralidade:

2020

2019

Diferença

Nº de acidentes

37 581

49 902

-12 321

Mortos

188

259

-71

Feridos graves

843

1101

-258

Feridos leves

11 488

15 970

-4 482

2020

2019

Diferença

Veículos controlados

3 676 882

4 572 093

-895 211

Excesso de velocidade

95 582

95 436

+146

O excesso de velocidade continua a constituir, em Portugal, uma das principais causas da sinistralidade rodoviária grave, seja pela diminuição do tempo de reacção do condutor para fazer face a um imprevisto, seja pelo agravamento das suas consequências, em resultado da maior violência do embate. Importa salientar que, quando a velocidade duplica, a distância de travagem quadruplica e, em caso de acidente, a probabilidade de resultarem vítimas mortais ou feridos graves aumenta de oito a 16 vezes.