GNR - Operação-STOP
   Publicidade   
   Publicidade   

A Guarda Nacional Republicana (GNR), do dia 1 de Julho e até dia 6 de Setembro, intensificou as acções de patrulhamento, fiscalização e apoio aos utentes das vias rodoviárias, com o objectivo de garantir a sua segurança durante os deslocamentos, de, e para os locais de veraneio e eventos de diversa natureza, próprios desta altura do ano.

   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 

Tradicionalmente, durante a época estival, as vias rodoviárias do nosso país registam um aumento substancial de tráfego, consequência do afluxo de turistas estrangeiros, de emigrantes e das deslocações de cidadãos nacionais para locais de veraneio no gozo das suas férias.

Assim, durante a operação, a GNR, privilegiou uma actuação preventiva nos principais eixos rodoviários (auto-estradas, itinerários principais, itinerários complementares e estradas nacionais), orientando o esforço para as vias mais críticas da sua zona de acção, com o objectivo de combater a sinistralidade rodoviária, garantir a fluidez do tráfego e apoiar todos os utentes das vias, proporcionando-lhes uma deslocação em segurança.

Nas acções desenvolvidas pela Guarda, no período de 1 de Julho a 6 de Setembro, foram fiscalizados 260.538 condutores, tendo sido detectadas mais de 86.340 mil infracções rodoviárias, das quais se destacam 35.198 por excesso de velocidade, 5.321 por falta de inspecção periódica obrigatória, 2.443 por uso indevido de telemóvel, 3.513 por falta ou incorrecta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças e 4.320 por condução sob o efeito do álcool, dos quais 1.964 foram detidos por apresentar uma taxa crime, igual ou superior a 1,2 g/l de álcool no sangue, havendo ainda a acrescentar a detenção de 1.007 condutores por falta de habilitação legal para conduzir.

Este tipo de infracções detectadas contribui, muitas das vezes, para o aumento dos índices de sinistralidade rodoviária.

A GNR incidiu a sua fiscalização nos comportamentos de risco, que colocam em causa a segurança rodoviária, nomeadamente:

  • Manobras perigosas de ultrapassagem, mudança de direcção, inversão do sentido da marcha, cedência de passagem, distância de segurança e circulação na via mais à direita;
  • Condução sob o efeito do álcool e de substâncias psicotrópicas;
  • Condução sem habilitação legal;
  • Excesso de velocidade;
  • Incorrecta ou não utilização do cinto de segurança e/ou sistemas de retenção de crianças;
  • Utilização indevida do telemóvel.
---[ Pub ]---