Guias Temáticos do Parque Natural da Serra de São Mamede apresentados na UÉ

Olga Martins, Diretora Regional da Conservação da Natureza e Florestas do Alentejo
   Pub   
   Pub   
   Pub   

“É muito importante esta ligação com a academia” enalteceu Olga Martins, Directora Regional da Conservação da Natureza e Florestas do Alentejo na sessão de apresentação dos Guias Temáticos do Parque Natural da Serra de São Mamede que decorreu hoje, dia 20 de Junho, na sala 124 do Colégio do Espírito Santo da UÉ, da responsabilidade da Universidade de Évora (UÉ) e do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas com o apoio das Câmaras Municipais de Marvão, Arronches, Castelo de Vide e Portalegre.

Celeste Santos e Silva, Professora do Departamento de Biologia da Universidade de Évora e investigadora do Instituto Mediterrâneo para a Agricultura, Ambiente e Desenvolvimento (MED), é autora deste trabalho que contou com a colaboração e co-autoria de investigadores do MED e do ICT, da UÉ. A importância da investigação e das relações estabelecidas entre instituições com o objectivo de promover projectos e parcerias foi igualmente destacada por Augusto Peixe, Pró-Reitor da UÉ e por Maria Clara Grácio, Directora da Escola de Ciências e Tecnologia da mesma Universidade, presentes na sessão de apresentação dos quatro novos guias dedicados ao Microbiota, Flora, Fauna e à Geodiversidade/Património Arqueológico, “deste território que apresenta elevada diversidade biológica e geológica com ocupação humana desde a pré-história” salientou Celeste Silva na sessão.

A Directora Regional da Conservação da Natureza e Florestas do Alentejo que considera necessário contrariar a excessiva artificialização do território, enalteceu aqui este trabalho desenvolvido na UÉ que se mostra “bastante útil para dinamizar o turismo sustentável e conduzir a que mais pessoas possam interessar-se por estas temáticas e usufruírem de uma experiência informada com base na ciência”, pelo que, na sua opinião, “a sinergia entre instituições é a nosso ver fundamental e absolutamente uma mais-valia” salienta ao colocar a transferência de conhecimento como aspecto relevante.

 Pub 
 Pub 
 Pub 
 Pub 

“O que pretendemos é que através destes guias possamos aumentar no número de turistas e contribuir para a Estratégia Nacional de Conservação da Natureza e da Biodiversidade”, apontou no mesmo sentido Celeste Silva sobre este plano que tem como propósito internacional a necessidade de estancar a perda da biodiversidade, promovendo uma estratégia ambiciosa para alcançar a recuperação e valorização do património natural nacional.

A investigadora da UÉ tem a ambição que estes guias possam ser determinantes “e a primeira etapa que conduza à criação das Portas de Entrada do Parque Natural da Serra de São Mamede e possamos comunicar, sensibilizar e promover a visitação ambientalmente informada a este Parque Natural tão singular”.

Recorde-se que os guias foram recentemente apresentados em Arronches, Castelo de Vide e Portalegre, estando disponíveis online no portal da UÉ. Financiados pelo Projecto ALT20-08-2114-FEDER-000216 – Centro de Interpretação e Portas de Entrada do Parque Natural da Serra de São Mamede a elaboração dos guias foram da responsabilidade da Universidade de Évora e do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas com o apoio das Câmaras Municipais de Marvão, Arronches, Castelo de Vide e Portalegre.