Líder da distrital de Portalegre do Chega demite-se por “falta de quórum”

Líder da distrital de Portalegre do Chega, Júlio Paixão
Imagem: Facebook/Júlio Paixão
   Pub   
   Pub   
   Pub   

O presidente da Comissão Política Distrital de Portalegre do Chega, Júlio Paixão, pediu a demissão do cargo, mas vai continuar como militante do partido, alegando “falta de quórum” da estrutura, disse hoje o próprio em declarações à agência Lusa.

“O principal motivo é por não ter quórum, mais elementos. A mesa [comissão política] já não existe, não tenho já vice-presidentes, embora não tenham apresentado a demissão, afastaram-se”, disse.

Júlio Paixão referiu que enviou já esta semana a carta de demissão para o Chega e que está nesta altura a “aguardar” que o partido liderado por André Ventura “aceite ou não” o seu pedido de demissão do cargo.

 Pub 
 Pub 
 Pub 
 Pub 

Além da falta de quórum, Júlio Paixão explicou que uma parte dos militantes do Chega em Portalegre afastaram-se das actividades desenvolvidas pelo partido por “falta de tempo” e também devido à contratação da antiga deputada do PAN Cristina Rodrigues para a assessoria do grupo parlamentar do Chega.

“Houve grande debandada, quer da parte dos meus colaboradores, que estavam comigo, quer de militantes”, disse.

Contactado pela Lusa, o secretário-geral do Chega, Pedro Pinto, referiu que o partido “agradece” o trabalho desenvolvido por Júlio Paixão nos últimos anos, acrescentando que vão ser convocadas eleições para a distrital de Portalegre “o mais rápido possível”.