Publicidade   
   Publicidade   

Em conferência de imprensa realizada esta quinta-feira, 21 de Agosto, no Salão Nobre dos Paços do Conselho, o presidente da Câmara Municipal de Elvas (CME), Nuno Mocinha, anunciou a disponibilidade dos vereadores Manuel Valério e Tiago Afonso “para reintegrar o grupo de trabalho”.

   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 

Na conferência de imprensa estiveram presentes, além de Nuno Mocinha, três (dos cinco) vereadores eleitos pelo Partido Socialista (PS), Vitória Branco, Manuel Valério e Tiago Afonso.

O edil começou por afirmar que no decurso da crise política, que se instalou na CME desde 15 de Julho, – altura em que retirou os pelouros à vice-presidente Elsa Grilo e ao vereador Rondão Almeida- “sempre afirmei que a prioridade é assegurar a governabilidade do Executivo” lembrando depois ter estado “firme e consciente de ter tomado uma decisão que ia ao encontro da vontade da maioria dos residentes no nosso concelho e que, mais tarde ou mais cedo, acabaria por ser maioritária também no seio dos sete eleitos da Câmara Municipal de Elvas”.

Transcrição, na íntegra, da declaração do presidente da CME, Nuno Mocinha:

[blockquote style=”style-6″]Desde a minha primeira intervenção pública, no decurso desta crise política da Câmara Municipal de Elvas, sempre afirmei que a prioridade é assegurar a governabilidade do Executivo.
Sempre falei com clareza aos Elvenses, sobre este assunto: nunca escondi as dificuldades ao longo destas últimas seis semanas, mas também nunca deixei de afirmar que eu estava decidido.
Por um lado, decidido a não me demitir, não virar a cara aos problemas e respeitar a vontade expressa pelos votantes do concelho de Elvas, em setembro do ano passado.
Mas, por outro lado, estava firme e consciente de ter tomado uma decisão que ia ao encontro da vontade da maioria dos residentes no nosso concelho e que, mais tarde ou mais cedo, acabaria por ser maioritária também no seio dos sete eleitos da Câmara Municipal de Elvas.
Tive oportunidade de deixar a minha posição clara: o regresso dos vereadores Manuel Valério e Tiago Afonso, a ocupar funções a tempo inteiro, sempre esteve em aberto da minha parte, cabendo a esses autarcas tomar a iniciativa para alterar a posição de cada um, em termos políticos.
Há mais de um mês, em diversos palcos, mas em especial quando me dirigi aos Elvenses, sempre afirmei que o problema que se vive na Câmara Municipal de Elvas é político e nada tem de pessoal.
Uma afirmação que repito hoje, pois os últimos desenvolvimentos verificados confirmam esta minha ideia.
Por isso, nas últimas semanas, estabeleci diversos contactos com os vereadores Manuel Valério e Tiago Afonso e sempre senti, da parte de ambos, que se abria progressivamente a possibilidade de se disponibilizarem para o retorno às suas funções autárquicas, num sentido de responsabilidade expressa.
Ontem, 20 de agosto, o diálogo teve os seus frutos e fui informado, pelos vereadores Manuel Valério e Tiago Afonso, que estavam disponíveis a reintegrar o grupo de trabalho e a aceitar os pelouros que eu lhes confiasse.
Hoje, dia 21, comunico aos Elvenses esta situação.
Este momento, para mim, é de felicidade, mas não esqueço as dificuldades das últimas seis semanas.
E não esquecer esse período é o mesmo que não esquecer as pessoas que têm estado comigo.
Desde uma palavra de incentivo, a uma mensagem ou um telefonema, ao envio de um texto ou ao estabelecimento de pontes de contacto e de diálogo, familiares e amigos, residentes ou não no concelho de Elvas, pessoas destacadas ou cidadãos comuns, todos me deram força, que eu juntei à força da minha consciência, à determinação que o caminho tinha de ser este e à fé que a solução seria encontrada.
Como foi.
Estou satisfeito – não escondo.
Continuo confiante e tranquilo.
Sobretudo pelos Elvenses, por Elvas e por este concelho.
Foi o futuro das nossas gentes e da nossa terra que esteve em causa, no último mês e meio.
Mais uma vez, obrigado a todos que me ajudaram.
Cada um, à sua medida, foi importante.
Todos, no conjunto, foram decisivos.
E agora o futuro.
De novo, uma palavra aos trabalhadores e colaboradores da Câmara Municipal de Elvas.
Conto convosco, para levar por diante as nossas exigentes tarefas no dia-a-dia. A vossa competência, aplicação e profissionalismo dão-me garantias de irmos alcançar os objetivos.
Os alvos do trabalho da Câmara Municipal estão inalterados:
– vamos prosseguir com todos os programas sociais;
– vamos continuar com as obras em curso e com as obras previstas;
– vamos acreditar que a classificação de Património Mundial vai movimentar cada vez mais este concelho, em termos culturais e turísticos;
– vamos continuar a trabalhar para a concretização de novos investimentos;
– vamos integrar-nos, cada vez mais, na Eurocidade Elvas-Badajoz, na zona fronteiriça em que nos localizamos, na comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo, no território alentejano que nos envolve, tirando partido das excelentes ligações a Madrid e aos portos atlânticos de Lisboa, Setúbal e Sines.
Resolvidos e ultrapassados os problemas políticos, vamos cerrar fileiras e deitar mãos ao trabalho, na certeza de haver muita gente à espera do nosso esforço e dedicação.
Mais uma vez, muito obrigado a todos.[/blockquote]

[spacer style=”4″]

---[ Pub ]---