Início Opinião Graça Amiguinho O Monte da Graça – Elvas no séc XVIII – A...

O Monte da Graça – Elvas no séc XVIII – A Guerra dos 7 anos – (1756 /1763) – 2ª parte

COMPARTILHE
   Publicidade   
   Publicidade   

Reinava em Portugal D. José I , tendo a seu lado o polémico Sebastião José de Carvalho e Mello, mais conhecido por Marquês de Pombal!

Portugal viu-se envolvido na Guerra dos 7 anos, ao lado de Inglaterra, tendo como principais opositores a França e a Espanha… entre 1756 e 1763.

“Canto a minha terra, a minha gente ! Este povo que amo , a terra arada, o sol ardente!”, Graça Foles Amiguinho
“Canto a minha terra, a minha gente! Este povo que amo, a terra arada, o sol ardente!”, Graça Foles Amiguinho

Os espanhóis avançavam para tomarem lugares estratégicos de Portugal. Começaram por Castelo Rodrigo, Almeida e desciam já para o Alentejo.

O Marquês de Pombal vê-se obrigado a pedir socorro a Inglaterra  e contratou para Chefe do exército um jovem que já se havia tornado notado pelas suas capacidades, Conde de Schaumbourg Lippe.

Preparou o exército português e , quando os espanhóis se preparavam para entrar por Elvas, tudo fez para os afugentar, melhorando as fortificações já existentes .

Assinada a Paz no Tratado de Paris, D. José  encarregou-o da grandiosa tarefa de modernizar o Forte da Graça!

Os trabalhos do Forte, iniciados em 1763 só terminaram em 1792, já no reinado de D.Maria I.

Tão belo foi o resultado que a rainha deu-lhe o nome de Forte  Conde de Lippe.

Em 1763, durante quase 30 anos, nele trabalharam 6000 homens, 4000 animais e a despesa foi de 120 mil moedas de ouro!

Boa visita!

[spacer color=”E07070″ icon=”fa-cog” style=”2″]