Santa-Teresa-d'Ávila
   Publicidade   
   Publicidade   

Talvez, há uns vinte anos, numas férias passadas em Torremolinos, numa calma noite de verão, vi uma igreja de portas abertas e entrei.

   Pub 
   Pub 
   Pub 

Nos azulejos da entrada, creio que, do lado direito, deparei-me com a inscrição de um poema que, pela sua ideologia, já conhecia, mas que, a partir desse dia, fiz dele a minha «bandeira» para que a minha vida, cheia de altos e baixos, não fosse motivo de destruição do meu ser, mas, pelo contrário, me ajudasse sempre a erguer de novo e sentir a força de renascer!

Longe de mim estava, ainda, a ideia de que, um dia, iria também expressar o meu pensamento em poesia. Tudo o que me tocasse a alma eu assimilava, fervorosamente.

“Canto a minha terra, a minha gente! Este povo que amo , a terra arada, o sol ardente!”, Graça Foles Amiguinho
“Canto a minha terra, a minha gente! Este povo que amo, a terra arada, o sol ardente!”, Graça Foles Amiguinho

Eis aqui, queridos leitores, esse belo poema escrito por Santa Teresa de Ávila

Nada te perturbe, Nada te espante,
Tudo passa, Deus não muda,
A paciência tudo alcança;
Quem a Deus tem, Nada lhe falta:
Só Deus basta.

Eleva o pensamento, Ao céu sobe,
Por nada te angusties, Nada te perturbe.
A Jesus Cristo segue, Com grande entrega,
E, venha o que vier, Nada te espante.
Vês a glória do mundo? É glória vã;
Nada tem de estável, Tudo passa.

Deseja as coisas celestes, Que sempre duram;
Fiel e rico em promessas, Deus não muda.
Ama-o como merece, Bondade Imensa;
Quem a Deus tem, Mesmo que passe por momentos difíceis;
Sendo Deus o seu tesouro, Nada lhe falta.
SÓ DEUS BASTA!

Santa Tereza D Avila

Tão profunda meditação sobre os caminhos da vida, são para qualquer pessoa, uma lição a seguir, pois as glórias do mundo, na verdade, não passam de coisas vãs e passageiras.

Perante as injustiças dos homens, prevalece sempre a Justiça Divina. Incomodarmo-nos com coisas que passam, é tempo perdido, pois muito mais há a fazer, muitos castelos de sonhos temos ainda para erguer!

Quantas vezes nos sentimos fustigados pela maldade humana, discriminados sem sabermos, concretamente, a razão, quando tudo o que fazemos é para o bem comum e levar consigo a Paz e a união entre os homens!

O exemplo de Santa Teresa de Ávila, grande lutadora no seu tempo, a uma distância de cinco séculos de nós, está sempre presente no meu pensamento.

Não tenho a presunção de ser como ela, mas sinto grande impulso de seguir o seu exemplo e caminhar firme neste caminho honesto e em prol da Cultura, que tracei na minha vida, nos anos que me restam sobre a terra que piso e onde nasci.

Contra ventos e marés, só, ou bem acompanhada por gente simples e que comunga os mesmos ideais que eu, seguirei divulgando a Cultura do meu País, o valor da nossa gente, os mais puros sentimentos que ultrapassam fronteiras e criam verdadeiros laços de amizade entre os povos, destruindo barreiras e criando pontes seguras!

As invejas, as ingratidões, as maldades, as incompreensões, as omissões ou mentiras, não me perturbarão, porque a minha consciência está tranquila, o meu coração é impermeável e resistente a elas porque Deus me Basta e nunca me Falta!.