Início Ciência O que é a Perturbação Autística?

O que é a Perturbação Autística?

A Perturbação Autística é a perturbação global do desenvolvimento mais severa e consiste num atraso ou funcionamento anormal em alguma áreas do comportamento e interacção social.

COMPARTILHE
   Publicidade   
   Publicidade   

As perturbações globais do desenvolvimento caracterizam-se por um défice global de competências sociais e de comunicação, grave e inadequado para o nível de desenvolvimento ou idade mental da pessoa, bem como comportamentos, interesses ou actividades estereotipadas:

  1. Perturbação Autística
  2. Perturbação de Asperger
  3. Perturbação de Rett
  4. Perturbação Desintegrativa da Segunda Infância
  5. Perturbação Sem outra Especificação

A Perturbação Autística é a perturbação global do desenvolvimento mais severa e consiste num atraso ou funcionamento anormal em pelo menos uma das seguintes áreas:

  1. interacção social
  2. linguagem usada na comunicação social
  3. jogo simbólico ou imaginativo

A Perturbação Autística caracteriza-se por:

  1. incapacidade para desenvolver relacionamentos
  2. competências de interacção limitadas (ex.: dificuldade em manter contacto visual ou conversa)
  3. acentuada preferência por jogos repetitivos e estereotipados
  4. preferência e fascínio por objectivos manipuláveis por movimentos repetitivos
  5. desejo obsessivo de conservação da uniformidade (ex.: rotinas)
  6. perturbação extrema perante alteração de rotinas
  7. hipo ou hipersensibilidade a estímulos ambientais (ex.: sons, toques, sabores, cheiros, luzes, cores)
  8. movimento de baloiço do corpo ou tapar ouvidos/olhos em resposta a excesso de estímulos externos
  9. acentuado atraso ou insucesso na aquisição da linguagem e uso pouco vulgar

A Perturbação Autística não depende da atenção, carinho e amor que os pais dão aos filhos.

A Perturbação Autística consiste numa danificação ou desenvolvimento incorrecto de neurónios na área das emoções, comunicação e sentidos, ou seja, alterações neurológicas e bioquímicas. Estruturas como a amígdala, o hipocampo apresenta anomalias ou irregularidades funcionais.

O psicólogo para além de poder ajudar os respectivos cuidadores informais na aproximação à pessoa com Perturbação Autística e no evitamento de culpabilização e sentimento de impotência, pode ajudar as próprias pessoas com Perturbação Autística estimulando o desenvolvimento social e comunicativo no sentido de uma melhoria no estilo de vida para uma maior autonomização. Tratamentos complementares incluem:

  1. pediatria
  2. neurologia
  3. farmacologia
  4. psiquiatria
  5. terapia da fala e da linguagem
  6. terapia ocupacional
  7. terapia da habilidade social
  8. terapia do desenvolvimento
  9. terapias com animais (golfinhos, cavalos, cães)
  10. estimulação sensorial e relaxamento (cor, textura e som)

Marta Pimenta de Brito (Psicóloga)
Ciência na Imprensa Regional – Ciência Viva

   Publicidade