Início Opinião Graça Amiguinho O palácio de Belém sem primeira-dama

O palácio de Belém sem primeira-dama

COMPARTILHE
©TVI24
   Publicidade   
   Publicidade   

Pela primeira vez na história da República Portuguesa ficará vazio o lugar tão honrosamente ocupado, até aqui, por uma Mulher, no Palácio de Belém, residência oficial dos nossos presidentes!

Será este o momento ideal para recordarmos as últimas primeiras-damas, esposas dos anteriores presidentes da República.

A presença de Maria Barroso, esposa e companheira de uma vida de Mário Soares, ficará para sempre na nossa memória coletiva como um exemplo de força e capacidade de luta por um ideal Democrático que abraçou na juventude!

A sua ação ultrapassou o âmbito familiar. Defensora de um País Livre e Culto, deixou marcas do seu interesse e espírito de colaboração, incontestáveis.

Manuela Ramalho Eanes foi também uma digna ocupante do Palácio de Belém demonstrando, em diferentes ocasiões, o seu espírito solidário e também fazendo jus ao velho ditado popular que muito honra uma Mulher: «por trás de um grande Homem está sempre uma Grande Mulher!

Maria José Ritta usou todo o seu charme para tornar alegre a presidência de seu marido, Jorge Sampaio. Presença de bom gosto, elegância e modernidade, chegou a participar em passagens de modelos com fins caritativos. Conquistou a simpatia de todos com a sua simplicidade.

A última primeira-dama foi Maria Cavaco Silva. Não há grande conhecimento da sua intervenção social mas ficará na lembrança de todos a sua influência na condecoração, pelo Presidente da República, do seu costureiro, um modesto cidadão sem obra reconhecida.

Estamos a poucas horas da tomada de posse do novo Presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa.

A sua campanha eleitoral teve como tema principal «OS AFETOS».

Poderá parecer uma utopia essa escolha! O Presidente eleito revela ser um homem muito carente de afetos! Não duvidamos da sua generosidade e da sua simpatia para com todos. Tem provas dadas a sua forma de estar mesmo com os que não pertencem à sua classe social.

Porém, Marcelo Rebelo de Sousa, tem uma grande lacuna na sua vida pessoal que o impede de viver uma vida normal!

Não querendo fazer juízos precipitados, fico a pensar até que ponto, os conceitos e preconceitos de ordem religiosa, podem marcar a vida de alguém, inteligente e liberal!

“Canto a minha terra, a minha gente ! Este povo que amo , a terra arada, o sol ardente!”, Graça Foles Amiguinho
“Canto a minha terra, a minha gente! Este povo que amo, a terra arada, o sol ardente!”, Graça Foles Amiguinho

O novo Presidente afirmou um dia que «casamento é para a vida». E, como a sua situação de homem divorciado não lhe permitiu tornar real esse sonho, vive uma situação que o impede de fazer uma vida comum à dos simples mortais!

Como o futuro Presidente muito bem sabe, terá o mundo com os olhos postos em si, em cada minuto da sua vida. Esperemos que, nas horas de saudade e solidão, não faça como o Presidente Hollande e se disfarce para sair dos seus aposentos, pela calada da noite, ao encontro da Mulher amada!

A sua situação não seria tão censurável como a de Hollande, pois este tinha a sua Dama no Eliseu e ia à procura de uma aventura.

O povo Português, neste momento, deseja as maiores felicidades ao novo inquilino de Belém e, acima de tudo, que os seus AFETOS tenham força suficiente para ultrapassar o medo de desagradar a alguém. A Deus não ofenderá, certamente.

Uma Mulher a seu lado lhe proporcionaria a alegria de ver o mundo com outra luz e cor e o acompanharia nas horas de alegria ou preocupação. As mulheres portuguesas lhe dariam todo o apoio para assumir a relação que mantém há décadas!

Uma vida com Paz, Saúde e um Amor sem complexos para servir Portugal da melhor forma, são os nossos votos!

   Publicidade