Pelos Caminhos da Vida

Opinião - Graça Amiguinho
   Pub   
   Pub   

Há quem diga que ao nascermos, Deus nos traça um caminho, mas nos dá o livre arbítrio, ou seja, a liberdade de o seguirmos ou não, carregando cada ser, o peso das suas decisões.

Acredito que assim seja. Na linguagem popular, ouvimos muitas vezes dizer que “nada acontece por acaso” e muito se especula sobre esta afirmação.

Os acontecimentos vão-se sucedendo e nem sempre os valorizamos, nem deles retiramos as conclusões que nos conduzam a mudanças.

 Pub 
 Pub 

Todos temos muito para contar! Coisas boas e outras pouco agradáveis.

Quando tudo “corre sobre rodas”, nem nos apercebemos se o nosso papel, na cena que desempenhamos, é digno de registo ou passa completamente incógnito.

Ao longo da minha caminhada, sempre preocupada na defesa do bem comum e na transmissão de ideais nobres, tudo fiz com dedicação e uma entrega total.

Nem sempre colhi a recompensa merecida, a meus olhos, mas nada me perturbou, porque a consciência me permitiu sempre, “dormir tranquila”.

Estou escrevendo estas linhas, apenas com o indicador da mão esquerda, porque a mão direita ainda está imobilizada, após uma queda ocorrida, passados dezoito anos, no mesmo dia e à mesma hora, da que sofri, partindo os dois braços. Felizmente, tenho a meu lado, o meu filho Rui, que me trata com o mesmo carinho com que eu sempre o tratei.

Nessa primeira queda, em 2004, tive a oportunidade de conhecer melhor quem me amava, verdadeiramente, e no meu espírito surgiu um clamor de louvor e agradecimento, a Deus e ao meu amado esposo e a meus filhos, numa nova forma de expressão, que até então desconhecia e não usava, a Poesia!

Daí em diante, muito mudou a minha vida!

Desde então, publiquei “O MEU SENTIR”, “ALMA ALENTEJANA”, com 8 poemas musicados por mim e cantados por Berta Miranda, “NÃO TE DISSE ADEUS”, com 6 poemas musicados, igualmente, por mim e cantados, novamente, por Berta Miranda, “MEU ALENTEJO RAÍZES”, “MEU ALENTEJO SAUDADE”, “POESIA E ARTE”, com CD de músicas minhas, com a minha voz, poemas meus e de Francisco Rasquilha e Clara Blásquez Jiménez, dedicados ao ALENTEJO, e um poema do poeta galego, Paco Ledo, que traduzi para português, usado como banda sonora de uma curta-metragem sobre “A TERRA”.

Estas duas últimas obras e o CD serão apresentados na minha terra natal, SANTA EULÁLIA, no próximo dia 15 de agosto, às 21h, no LARGO DO REPUXO, para toda a gente que desejar assistir.

Meu-Alentejo-SaudadeA par destes livros, em nome individual, organizei cinco colectâneas:

“ELVAS À VISTA” 2019, “EUROCIDADE – BADAJOZ, ELVAS, CAMPO MAIOR 2019, “RAIA LUSO ESPANHOLA” 2020, todas com poemas meus e dos poetas participantes, musicados por mim e cantados, nos Lançamentos, por Berta Miranda, acompanhada por Nuno Cirilo, “CULTURA SEM FRONTEIRAS”2021 com um CD de músicas minhas e poemas de vários autores, gravado por mim, “ABRAÇO DE CULTURAS” 2022, com o Hino da Colectânea escrito, musicado e gravado também, por mim.

Nestas obras LITERÁRIAS E ARTÍSTICAS, participaram centenas de autores, uns já consagrados, outros, principiantes, mas todos encantados com as minhas iniciativas.

Mas a minha atividade não ficará por aqui, pois aproveitarei os dias da minha vida, fazendo aquilo que maior alegria me dá, escrevendo.

Tenho três obras prestes a serem publicadas.

Uma para crianças, “CÃES E GATOS, ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO” em colaboração com o meu filho Rui, tal como as anteriores, “AOS OLHOS DE DEUS” um hino ao amor, à fraternidade e à FÉ em Deus, “O AMOR NA GUERRA”, o meu primeiro romance e, neste momento, estou passando o tempo escrevendo o segundo romance “A ESPIA RUSSA EM PORTUGAL”.

Agradeço aos leitores que gostam do que escrevo, e desejo que a minha força de vontade seja incentivo para que outros potenciais escritores não tenham medo de enriquecer a nossa Cultura, valorizando a linda Língua Portuguesa! Espero-vos em Santa Eulália!


A articulista actua como Colaboradora do Portal Elvasnews e o texto acima expressa somente o ponto de vista da autora, sendo o conteúdo de sua total responsabilidade.