Publicidade   
   Publicidade   

Escrevo poesia

   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 

porque, de outra forma,

minha alma não conseguiria

exprimir os sentimentos,

as vivências do meu dia a dia.

Ela nasceu comigo

mas durante muitos anos

se escondeu, inocente,

num sóbrio abrigo.

Não desistiu

de na minha vida entrar.

Persistente, conseguiu

e, sem o saber,

os meus dias veio abençoar!

“Canto a minha terra, a minha gente ! Este povo que amo , a terra arada, o sol ardente!”, Graça Foles Amiguinho
“Canto a minha terra, a minha gente! Este povo que amo, a terra arada, o sol ardente!”, Graça Foles Amiguinho

Calma e serena,

durante a noite  me visita,

me acaricia,

suave como uma pena!

Conta-me os segredos

escondidos dentro de mim.

Afasta meus medos,

mostra-me outros mundos

onde nunca vivi!

Convida-me a entrar

em doces oceanos

onde o meu pensamento

se pode banhar.

Não lhe resisto e cedo.

Vou atrás dela, confiante.

Saio do degredo

e sigo, cegamente, adiante.

Depois de tal descrição,

meus amigos, vos quero lembrar

que isto é pura imaginação!

Eu não saio deste meu lugar!