Início Actual Primeiro passo para a “maior obra dos últimos cem anos”

Primeiro passo para a “maior obra dos últimos cem anos”

COMPARTILHE
Descerrada a placa que assinala o início das obras no Corredor Internacional Sul. Sines-Caia
   Publicidade   
   Publicidade   

Esta segunda-feira, 5 de Março, marca o impulso e início do investimento na linha ferroviária, no âmbito do Ferrovia 2020, com o lançamento do concurso para a construção do troço da linha ferroviária Évora Norte-Elvas e também da consignação da empreitada para o troço Elvas-Caia.

Estas cerimónias decorreram com a presença do primeiro-ministro de Portugal, António Costa, do chefe do Governo de Espanha, Mariano Rajoy, da Comissária Europeia dos Transportes, Violeta Bulc, do presidente da Infra-estruturas de Portugal, António Laranjo e ainda do edil elvense, Nuno Mocinha, além de entidades civis e militares.

O documento de consignação da empreitada do troço Elvas-Caia, cuja adjudicatária é a empresa Teixeira Duarte, foi assinado pelo presidente da Infra-estruturas de Portugal, António Laranjo, e presidente do Conselho de Administração da construtora, Pedro Teixeira Duarte.

Projecto aproxima populações, diz Nuno Mocinha

Presidente da Câmara Municipal de Elvas, Nuno Mocinha

Na sua intervenção o presidente da Câmara Municipal de Elvas, Nuno Mocinha, começou por agradecer a escolha de Elvas para esta “importante cerimónia”, tendo ainda sublinhado a importância deste projecto “no âmbito da Eurocidade”, reforçando os laços entre os dois países e aproximando populações.

Maior obra em cem anos da ferrovia portuguesa, referiu Pedro Marques

Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques

Na sua intervenção, o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, salientou ser “com grande honra e especial satisfação que os recebemos hoje aqui, um dia histórico em que assinalamos o arranque da parte principal da linha ferroviária entre Évora e a fronteira do Caia. É um dia histórico para o país e para a consolidação da rede transeuropeia de transportes, um dia histórico para a península ibérica e para o reforço das ligações entre os dois países”.

Para o governante, este dia marca o “arranque da maior obra de linha nova, nos últimos 100 anos da ferrovia portuguesa, são mais de 100 quilómetros de linha, num investimento global bem superior a 500 milhões de euros”,

Acrescentando que este é um investimento “com um impacto estruturante, que se estende muito para lá dos próprios limites físicos, um investimento à escala europeia, que tem uma importância decisiva pela consolidação da rede ferroviária, enquanto elemento de suporte da ligação europeia” e um projeto “reconhecido pelas instâncias europeias como prioritário e como tal vai beneficiar de um importante apoio financeiro”.

Pedro Marques concluiu salientando que o “troço entre Évora e a fronteira do Caia é essencial, apesar de ser virado para o serviço mercadorias, mas vai beneficiar também o serviço de passageiros”, destacando o facto de que “o comboio de mercadorias a partir de Sines terá uma redução de custos superior a 30%, beneficiando, desta forma, o seu crescimento, mas os benefícios não se esgotam no porto de Sines, beneficiará na mesma medida nas acessibilidades aos portos de Setúbal e de Lisboa”.

Projecto importante para Portugal, para Espanha e para a União Europeia, sustenta Violeta Bulc

Comissária Europeia dos Transportes, Violeta Bulc

A Comissária Europeia lembrou que a União Europeia “é a maior economia do mundo. 500 milhões de cidadãos e um PIB de 13,5 biliões de euros” por ano sendo “o lugar para onde devemos estar”. Se não existir conexão nos transportes “como é que fazemos?” pois os produtos “têm de viajar”.

Violeta Bulc salienta que é na conectividade que se deve “manter o foco seriamente”.

Nova linha une cidadãos, defende Rajoy

Chefe do Governo de Espanha, Mariano Rajoy

A intervenção de Mariano Rajoy salientou a “cooperação transfronteiriça entre os dois países”, referindo que o dia de hoje “traz excelentes notícias”, agora é importante “seguir trabalhando no corredor atlântico. Menos de um ano depois, sinto-me satisfeito por poder compartilhar com todos vocês esta notícia, resultante de um esforço comum”.

Para o chefe do Governo espanhol, “as linhas Évora-Elvas e Elvas-Caia vão ao encontro desse objetivo de capital importância: unir os nossos cidadãos e melhorar o seu dia-a-dia”, disse.

Momento histórico para Portugal, considerou António Costa

primeiro-ministro da República Portuguesa, António Costa

A obra de construção da nova linha entre Évora e Elvas, com cerca de 100 quilómetros de extensão, deverá arrancar até Março de 2019, com a conclusão da mesma a estar agendada para o primeiro trimestre de 2022, ascendendo o investimento a cerca de 509 milhões de euros, que vão contar com o apoio dos fundos comunitários.

A cerimónia encerrou com o discurso do primeiro-ministro da República Portuguesa, António Costa, que sublinhou ser um “momento histórico para Portugal”, uma vez que se trata do “lançamento do concurso para a maior obra de linha nova ferroviária” e, simultaneamente, um momento simbólico, porque estamos “numa cidade, que durante séculos fez a separação entre Portugal e Espanha, hoje é um símbolo de união, da abertura das nossas fronteiras”.

Para o primeiro-ministro, esta ligação “reforça a nossa competitividade externa e permite reduzir em 30 por cento os custos no Porto de Sines e no Porto de Lisboa, que vai reduzir “em cerca de três horas e meia o transporte, encurtar a distância em cerca de 140 quilómetros e reforçar a nossa competitividade”, sendo assim importante quer para a Europa e para a Península ibérica. O governante afirmou ainda querer “colocar Sines entre os dez maiores portos da Europa”.

António Costa sublinhou ser ainda uma prioridade o “reforço da cooperação transfronteiriça e, em especial, nestas regiões de fronteira”, acrescentando que este “é um investimento público que contribui simultaneamente para melhores condições para o investimento privado, para internacionalização e para exportação dos nossos produtos e serviços”.

Elvas-Caia e Caia-Évora: dois troços em obra

O concurso público para a construção do troço da nova Linha de Évora, entre Évora Norte – Freixo, é uma empreitada para a construção de um novo troço de caminho-de-ferro com 20,5 quilómetros de extensão, com um valor previsto de investimento de 65 milhões de euros, estando prevista a sua conclusão prevista para o terceiro trimestre de 2020.

Já no que respeita à nova linha, fará ligação ferroviária de Évora à Linha do Leste junto a Elvas, e traduz-se na construção de uma nova plataforma ferroviária com cerca de 80 quilómetros de extensão, o que constituirá a maior extensão de via-férrea construída nas últimas décadas no nosso país.

Entretanto, avança também a modernização da Linha do Leste, com o início dos trabalhos no troço entre Elvas e a fronteira, com 11 quilómetros de extensão, entre Elvas e Caia (fronteira com Espanha) e que integra o futuro Corredor Internacional Sul, num investimento de 23,2 milhões de euros que engloba, entre outros, de ampliação da Estação Ferroviária de Elvas e a ampliação da estação de Elvas, para permitir a manobra de comboios de mercadorias com 750 metros.

O Plano Ferrovia 2020, que promove as ligações com Espanha e a modernização dos principais eixos ferroviários, engloba, no total, um investimento superior a dois mil milhões de euros, dando especial destaque ao transporte de mercadorias e ao transporte público de passageiros.