Projecto-“Não-brinques-com-o-fogo”
   Publicidade   
   Publicidade   

O Ministério da Cultura e Agência para a Gestão Integrada de Fogos Rurais (AGIF) lançam hoje o projecto “Não Brinques com o Fogo”, que visa, através das artes, sensibilizar as populações para alterar comportamentos de risco face aos incêndios rurais e promover a valorização e protecção dos seus territórios.

   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 

Em Penacova, um dos territórios abrangidos pelo projecto, são hoje assinados quatro protocolos de colaboração entre a AGIF e as Direcções Regionais de Cultura (DRC) do Norte, Centro, Algarve e Alentejo, que prevêem que as DRC se tornem operadoras do projecto durante um ano.

Segundo a Ministra da Cultura, Graça Fonseca, “este projecto piloto enquadra-se numa visão estratégia mais ambiciosa a 10 anos, que está reflectida no Plano Nacional de Gestão Integrada e Fogos Rurais, apresentado pelo Governo na passada terça-feira. Trata-se de uma iniciativa inscrita numa dinâmica de colaboração entre Cultura e Ambiente, que valoriza o poder das artes no convite à reflexão sobre aspectos como as alterações climáticas e a protecção do ambiente”.

Tiago Oliveira, Presidente da AGIF, explica que “este projecto coloca em prática uma metodologia já testada em países como Espanha, EUA e África do Sul, com o propósito de chegar às populações locais através de eventos culturais. Se reduzirmos o número de ignições, conseguimos reduzir a probabilidade de um incêndio grave, de grandes dimensões. Precisamos de alterar comportamentos face ao uso do fogo, seja qual for a época do ano”.

185 mil euros para estruturas artísticas locais

O investimento da AGIF de 185 mil euros, a ser operado pelas quatro DRC, destina-se à produção de espectáculos multidisciplinares ao ar livre e acções de capacitação das populações.

Os avisos para as candidaturas de estruturas artísticas dos respectivos territórios são publicados hoje nos sites das DRC e convidam à apresentação de propostas, de 23 de Junho a 14 de Julho, por parte de agentes culturais para a concepção e apresentação de espectáculos sujeitos a temáticas como queimadas, limpeza de terrenos, comportamentos de risco, o lançamento de foguetes ou o uso de maquinaria agrícola em condições de segurança.

Podem candidatar-se pessoas colectivas de direito privado com sede nos municípios abrangidos pelo programa, que exerçam actividades profissionais de natureza não lucrativa nas áreas das artes performativas, nomeadamente teatro, música, dança, circo contemporâneo e artes de rua e artes visuais.

Serão valorizadas candidaturas colaborativas, que apresentem uma abordagem multidisciplinar e incluam mais do que uma entidade artística. Podem também incluir pessoas singulares e agentes culturais locais não profissionais.

Os espectáculos ao ar livre serão apresentados em Setembro e Outubro de 2020 nos concelhos considerados prioritários pela AGIF, que são Vila Nova de Poiares, Coimbra, Penacova, Ourém, Paredes, Gondomar, Gavião e São Brás de Alportel. Os Concelhos foram escolhidos segundo a sua classificação com grau de risco elevado.