PSP-e-CNP-vão-continuar-actividade-conjunta-junto-à-fronteira
   Publicidade   
   Publicidade   

A Polícia de Segurança Pública PSP) realizou ontem, quarta-feira, 5 de Fevereiro, nas instalações do Comando Distrital de Portalegre, uma reunião de trabalho com os responsáveis pelo Corpo Nacional de Polícia (CNP) da Estremadura da Polícia Nacional de Espanha.

   Pub 
   Pub 
   Pub 

Em comunicado a PSP esclarece que esta reunião de trabalho conjunta se prende com o “processo de cooperação” que vem sendo desenvolvido desde o ano de 2013 por ambas as instituições, tendo sido “tratados alguns temas de extrema importância para a segurança pública em ambos os territórios”.

Do programa inicialmente previsto destaca-se a retrospectiva e análise à actividade desenvolvida durante o ano de 2019, salientando-se neste campo as diversas patrulhas conjuntas em que elementos policiais dos dois países actuaram em alguns dos eventos de maior dimensão nas cidades do Distrito de Portalegre e da Região da Estremadura espanhola, como são o caso da Feira de S. Mateus, em Elvas, do Festival Womad e as festas de S. Fernando, em Cáceres, as Festas de S. João e as Festas de Almossassa, em Badajoz.

De salientar igualmente que a realização de patrulhas conjuntas vem anualmente ao encontro dos movimentos transfronteiriços de cidadãos entre os dois países e que cada vez mais justificam a presença das forças policiais como forma de criar maior proximidade e sentimento de segurança aos seus concidadãos.

Em termos criminais, foram conhecidas e analisadas as realidades actuais e os dados estatísticos das duas regiões, verificando-se que a actividade de cooperação ao nível da investigação criminal, da recolha e troca de informação e do combate a determinados fenómenos criminais com o tráfico de estupefacientes e/ou de armas se encontra a um alto nível, não só pela capacidade evidenciada em estabelecer contactos céleres e eficientes entre as duas polícias, mas também pelos resultados que se vêm obtido na identificação de suspeitos, recuperação de bens furtados e conclusão de processos crime com êxito no que concerne à acusação e condenação dos autores dos ilícitos.

Noutra senda, foram analisadas iniciativas levadas a cabo pelas duas forças de segurança em matéria de proximidade policial como são o caso da demonstração conjunta do Grupo Operacional Cinotécnico da PSP e do Cuerpo Canino do CNP, iniciativa que na data da sua realização reuniu mais de 1000 crianças na cidade de Portalegre, assim como o Seminário “Intercuerpos sobre actividades Operativas”, realizado em Badajoz, onde estiveram presentes elementos operacionais e que permitiu trocar experiências no âmbito da actividade operacional, levando a um enriquecimento pessoal no que concerne a tácticas e estratégias de actuação policial no terreno.

Na esfera de actuação, a PSP destaca “as diversas actividades realizadas ao nível da sensibilização e da prevenção situacional”, as quais foram desenvolvidas dos dois lados da fronteira, junto de instituições de cariz escolar/formativo, com o principal intuito de “transmitir informação útil e conselhos a cidadãos que de forma pontual ou que, por norma, se deslocam ao país vizinho em férias, para efectuar compras ou participar em eventos culturais”.

Neste âmbito, são de referir as palestras efectuadas em Portalegre e Elvas por elementos do CNP e que foram dirigidas aos alunos e restante comunidade escolar das escolas de ensino secundário, mas também a participação de elementos policiais da PSP de Portalegre em Cáceres junto de escolas de línguas em Badajoz e Cáceres, onde por norma, cidadãos espanhóis, aprendem a língua portuguesa e se deslocam com frequência a Portugal, como referido anteriormente.

Como resultado das conclusões evidenciadas nesta reunião, o CNP da Estremadura espanhola e o Comando Distrital de Portalegre “continuarão a fomentar este tipo de cooperação”, sempre com a orientação das suas direcções e o enquadramento dado pelo Memorando de Cooperação Transfronteiriço assinado pelas duas instituições em 2013 e que, recorde-se, destaca a importância da situação geográfica de Portugal e Espanha, assim como a necessidade de reforçar laços de cooperação em matéria de combate à criminalidade organizada, transfronteiriça e itinerante.

Deste modo continuaremos a trabalhar juntos em eventos de grande dimensão, a realizar acções de formação com a presença conjunta, a intensificar a investigação criminal perante a criminalidade cometida nas nossas áreas de actuação e junto da fronteira e a levar a acabo acções de sensibilização e demonstrações policiais, normalmente do agrado das nossas populações.