PSP no DECIR2020
   Publicidade   
   Publicidade   

A Polícia de Segurança Pública(PSP) desenvolveu na área da sua competência territorial, entre 1 de Fevereiro e 31 de Outubro de 2020, diversas acções de prevenção e combate aos incêndios florestais, nomeadamente, ao nível da sensibilização, vigilância e fiscalização.

   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 

Esta actividade decorre da condição da PSP enquanto organismo integrante do Sistema Integrado de Operações e Socorro, envolvido neste esforço nacional nos termos da Directiva Operacional Nacional nº 2 – DECIR (Dispositivo Especial de Combate a Incêndios) de 2020, emitida pela Autoridade Nacional de Protecção Civil.

Nessa janela temporal, a PSP concretizou 7.554 acções de Vigilância e Fiscalização, i.e.,28 acções/dia, envolvendo 11.994 polícias que percorreram um total de 88 662 Kms, apoiados por 4.114 viaturas.

A PSP assegurou ainda 1.397 acções de sensibilização e informação sobre a prevenção dos fogos, que envolveram 4 365 cidadãos.

Estas acções abordaram as regras sobre o uso do fogo; índice de risco de incêndio rural, definição de zonas críticas e redes de faixas de gestão de combustível.

Adicionalmente, através da linha de emergência 112, cuja operacionalidade, controlo e gestão são permanentemente asseguradas pela PSP, recebemos e encaminhamos nesta janela temporal 13 871 chamadas relacionadas com os fogos, que corresponde a uma média diária de 60 contactos telefónicos.

Da actividade de vigilância e fiscalização da PSP resultou:

  • 9 detidos pelo crime de fogo posto;
  • 115 Autos de Notícia por contra-ordenação, sendo as infracções mais comuns:
    – Incumprimento de medidas preventivas (não realização de acções e trabalhos de gestão de combustível),
    – Realização de queima de sobrantes (queimadas) e fogueiras sem autorização ou em janelas temporais proibidas, e
    – Depósito ilegal ou irregular de madeiras e de outros produtos inflamáveis.

Apelamos a todos os cidadãos que preparem atempadamente as acções de gestão de matéria combustível nos terrenos, especialmente os que circundam áreas habitacionais.

A PSP manter-se-á disponível para apoiar e informar os cidadãos na redução do risco de deflagração e propagação dos incêndios, protegendo a diversidade de fauna e flora, enquanto bem comum de todos.