Início Sociedade Política Sérgio Ventura não se demite e diz ter sido “humilhado e ofendido...

Sérgio Ventura não se demite e diz ter sido “humilhado e ofendido em plena Reunião do Executivo”

COMPARTILHE
   Publicidade   
   Publicidade   

O Vereador Sérgio Ventura, eleito pelo Movimento “Elvas Nosso Partido”, revelou hoje, em comunicado enviado às redacções, ter sido “humilhado e ofendido em plena Reunião do Executivo do passado dia 27 de Dezembro, por um eleito do Movimento Cívico, por ter votado em consciência e de acordo com a Lei e sobejamente atacado nos meios de comunicação”.

Sérgio Ventura foi eleito Vereador da Câmara Municipal de Elvas, nas Eleições Autárquicas a 1 de Outubro passado, pelo Movimento Cívico “Rondão Almeida – Elvas Nosso Partido”, e diz ter aceitado “a responsabilidade, em nome dos Elvenses que em mim confiaram, para trabalhar em prol de todos”.

 “Como autarca, é minha obrigação defender o interesse comum, tendo sempre presente as necessidades das pessoas e preocupação de encontrar as melhores soluções para colmatar as mesmas”, salienta o Vereador.

Sérgio Ventura diz ainda que “um eleito tem de estar, por isso, ao serviço do seu município e das pessoas, sem ficar ao sabor de interesses individuais que em nada favorecem o colectivo. Torno público que me demarquei do movimento “RA – Elvas Nosso Partido”, no final do ano 2017, por considerar que este não está a ir de encontro aos objectivos e compromissos feitos aos eleitores”.

O autarca evidencia ser “da opinião, que na vida política, ninguém deve ser penalizado por ter optado por tomar um caminho mais justo, correcto, verdadeiro e leal para connosco e para com todos aqueles que nos elegeram. Sempre fui frontal e honrei os meus compromissos”.

“Nunca fui aliciado pelo Presidente da Câmara Municipal de Elvas, Nuno Mocinha, ou qualquer outro elemento de outra força partidária” revela Sérgio Ventura que afirma ter sido “humilhado e ofendido em plena Reunião do Executivo do passado dia 27 de Dezembro, por um eleito do Movimento Cívico, por ter votado em consciência e de acordo com a Lei e sobejamente atacado nos meios de comunicação” .

O Autarca conclui que “embora o caminho aparentemente mais fácil fosse aquele que me sugeriram – demissão de mandato de vereador – o compromisso que assumi com os elvenses sobrepõe-se a qualquer motivação pessoal, pelo que continuo disponível e totalmente empenhado para trabalhar em prol do nosso concelho, sem fugir à confiança e responsabilidades que em mim foram depositadas”.

   Publicidade