Início Região Évora Sessão consultiva para criação da Rede Nacional de Arte Rupestre decorreu em...

Sessão consultiva para criação da Rede Nacional de Arte Rupestre decorreu em Reguengos de Monsaraz

Visitas ao Cromeleque do Xerez e ao Museu Arqueológico do Complexo dos Perdigões

COMPARTILHE

A sessão consultiva da Rede Nacional de Arte Rupestre realizou-se no dia 8 de Fevereiro no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Reguengos de Monsaraz. Uma reunião preparatória para constituição da rede que teve a participação dos membros fundadores, como a Fundação Côa Parque, a Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, a Faculdade de Letras da Universidade do Porto e as autarquias de Reguengos de Monsaraz, Alijó, Vila Velha de Ródão, Alandroal, Viseu, Bragança, Vila Nova de Foz Côa, Caminha, Figueira de Castelo Rodrigo, Pinhel, Freixo de Espada à Cinta, Oliveira de Frades, Montemor-o-Novo, Fundão, Moncorvo, Meda, Mação, Macedo de Cavaleiros e Mirandela.

A Rede Nacional de Arte Rupestre vai ter como objectivos promover, valorizar e capacitar os recursos patrimoniais e humanos das entidades da rede, potenciar o impacto e a missão dos sítios detentores de arte rupestre e instituir mecanismos de partilha de recursos físicos e humanos. Com esta rede pretende-se também criar canais de comunicação apropriados ao desenvolvimento de projectos colaborativos, promover a cooperação com redes internacionais congéneres e expandir e diversificar os recursos das entidades gestoras dos sítios de arte rupestre e a sustentabilidade financeira dos projectos de valorização. A rede quer assim identificar e valorizar todos os locais de arte rupestre em Portugal, educar o público para a sua importância, criar sinalização e documentação de apoio ao turista, fazer um roteiro e um produto editorial para os jovens e criar um portal na internet.

A arte rupestre pré-histórica é um testemunho arqueológico comum em Portugal, particularmente nas regiões do interior. Alguns desses vestígios têm uma importância cientifica de âmbito mundial e podem permitir a sua fruição pelo público.

Depois da reunião de trabalho, os representantes das instituições foram visitar o Cromeleque do Xerez, próximo de Monsaraz, e o Museu Arqueológico do Complexo dos Perdigões, onde estão os achados do povoado dos Perdigões, classificado há cerca de um mês como monumento nacional. Este complexo arqueológico foi ocupado desde o final do Neolítico, há cerca de 5.500 anos, até ao início da Idade do Bronze, há 4.000 anos.