Prémio Melhor Curta do 25º FIC,- Filipe Melo
   Publicidade   
   Publicidade   

A curta-metragem ‘Sleepwalk’ do cineasta português Filipe Melo ganha o Prémio Onofre à Melhor Curta-metragem no 25º Festival Ibérico de Cinema (FIC), que finalizou na noite de sábado com a entrega dos Prémios Onofre, numa cerimónia celebrada no terraço do teatro López de Ayala de Badajoz. A gala pôs fim a cinco dias nos quais foram projectadas 35 curtas em diferentes secções.

   Publicidade   
   Publicidade   

 ‘Sleepwalk’ é uma co-produção entre Portugal e Estados Unidos e conta uma história americana na qual o protagonista viaja desde o Arizona ao Texas com uma missão secreta: conseguir uma fatia de tarte de maçã.

Esta curta-metragem é uma adaptação ao grande ecrã do conto de BD com o mesmo nome, publicado pela primeira vez na revista Granta Portugal e escrito por Filipe Melo, que além de director de cinema é pianista e autor de banda desenhada.

As curtas-metragens portuguesas chamaram a atenção na gala do 25º Festival Ibérico de Cinema, pois dos cinco trabalhos de realizadores portugueses apresentados ao certame três foram premiados.

O actor Fernando Rodrigues ganhou o Prémio AISGE à Melhor Interpretação Masculina pelo seu trabalho em ‘Por tua Testemunha’, de João Pupo, e ‘Equinócio’, de Ivo M. Ferreira obteve o Prémio AEC à Melhor Fotografia, realizada por João Ribeiro.

Eva Sainz, Prémio à Melhor Direcção por ‘Mujer sin hijo’

‘Mujer sin hijo’, de Eva Saiz conseguiu o Prémio Onofre à Melhor Direcção e o Prémio AISGE à Melhor Interpretação Feminina foi para a sua protagonista, a actriz Susana Alcántara, que interpreta a Tere, uma mulher que acolhe em sua casa um rapaz que toca à sua porta por engano à procura de um quarto de aluguer, e surge entre eles uma afinidade parecida à de qualquer mãe com o seu filho, embora a Tere o veja de outra forma.

Esta é a primeira curta-metragem de Eva Saiz como directora, embora tenha escrito várias curtas premiadas em importantes festivais nacionais e internacionais.

O Prémio Onofre ao Melhor Argumento foi para Jordi Capdevilla por ‘Hawaii’ e o Prémio Onofre á Melhor Música Original foi recebido por Johan Söderqvist pelo seu trabalho na curta ‘La Noria’, de Carlos Baena.

‘Réquiem’, um trabalho de cunho social do director Juanma Juárez, de quatro minutos de duração, foi eleito pelos espectadores como o triunfador do Prémio do Público de Badajoz, enquanto o Prémio do Público de Olivença foi para ‘Miedos’, a história arrepiante de Germán Sancho. O Prémio do Público de San Vicente de Alcántara foi para ‘La octava dimensión’, a curta dirigida e escrita por Kike Maíllo.

O Júri Joven outorgou o Prémio Luis Alcoriza ao trabalho ‘Limbo’ do diretor Daniel Viqueira e os mais pequenos concederam, com os seus votos, o Premio Onofre do Público Infantil à curta-metragem ‘Nueve pasos’, de Marisa Crespo e Moisés Romera, um thriller com elementos de terror que aborda o medo à escuridão.

A curta ‘La higuera’, vencedora do Certame Extremenho

O filme ‘La higuera’ foi a vencedora do Certame Extremenho de Curtas-metragens do 25º Festival Ibérico de Cinema, onde competia com outras três curtas, ‘Despachado’, de Elena Marcelo; ‘El invitado’, de Pedro Díaz; e ‘Un buen hombre’, de Matías Valenzuela.

‘La higuera’ é uma coprodução das produtoras catalãs Cornelius Films e Magno Entertaiment e a extremenha Emblema Films (do cineasta Antonio Gil Aparicio), dirigida pelo catalão Mikel Mas Bilbao.

Esta curta-metragem, que recebeu o Prémio Reyes Abades à Melhor Curta Extremenha, está ambientada na Extremadura do século XIX e narra o enfrentamento entre um grupo de pessoas carenciadas e um homem ambicioso que pretende tirar-lhes o pouco que têm. Nesta história, quatro pastores decidem, num jogo de cartas, quem deles matará o terratenente da vila.

Despedida do 25º FIC com Laura de Pedro

A actriz, directora e argumentista Laura de Pedro foi o mestre de cerimônias da gala de encerramento do 25º Festival Ibérico de Cinema, que reuniu um numeroso público, além de autoridades, representantes de instituições e do mundo do cinema e da cultura, que não quiseram perder a entrega dos prémios às curtas vencedoras desta 25 edição.

Prémios do 25º Festival Ibérico de Cinema

    • ONOFRE e 3.000 € à Melhor Curta-metragem: ‘SLEEPWALK’
    • ONOFRE e 800 € Prémio do Público Badajoz: ‘RÉQUIEM’
    • ONOFRE e 800 € Prémio do Público Olivença: ‘MIEDOS’
    • ONOFRE e 800 € Prémio do Público San Vicente de Alcántara: ‘LA OCTAVA DIMENSIÓN’
    • ONOFRE y 500 € Prémio do Público Infantil: ‘NUEVE PASOS’
    • PREMIO LUIS ALCORIZA do Júri Jovem: ‘LIMBO’
    • ONOFRE à Melhor Direção: EVA SAINZ por ‘MUJER SIN HIJO’
    • ONOFRE ao Melhor Argumento: JORDI CAPDEVILLA por ‘HAWAII’
    • ONOFRE e 500 € Prémio AISGE à Melhor Interpretação Feminina: SUSANA ALCÁNTARA por ‘MUJER SIN HIJO’
    • ONOFRE e 500 € Prémios AISGE à Melhor Interpretação Masculina: FERNANDO RODRIGUES por ‘POR TUA TESTEMUNHA’
    • ONOFRE à Melhor Música Original: JOHAN SÖDERQVIST por ‘LA NORIA’
    • Premio A.E.C. à Melhor Fotografia: JOÂO RIBEIRO por ‘EQUINÓCIO’
    • Premio REYES ABADES à Melhor Curta-metragem da Extremadura: ‘LA HIGUERA’, de Mikel Mas Bilbao.