André Vidigal
©Elvasnews
   Publicidade   
   Publicidade   

Os Sub-18 de Portugal e Ucrânia defrontaram-se esta manhã de quinta-feira, 3 de Março, no segundo jogo do estágio de preparação que ambas as equipas fizeram em Elvas e Campo maior.

   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 

Neste segundo jogo entraram bem os pupilos de José Guilherme que logo ao minuto nove chegaram à vantagem, mercê de uma grande penalidade apontada pelo 10 luso, Moreto Cassamáa castigar uma mão marota no interior da área.

Este golo madrugador foi porém sol de pouca dura pois volvidos dois minutos a equipa das Quinas permitiu o tento do empate, por intermédio de Oleh Kozhushko.

Na etapa complementar, a formação de leste fixou o resultado final aos 59 minutos, quando após marcação de um canto Eduard Matviyenko aproveitou a lentidão defensiva lusa e arrumou a questão dando o triunfo aos ucranianos, por 2-1.

Numa partida de entrada livre (até um canídeo se passeou pelo relvado) o primeiro período foi o mais interessante com a equipa das Quinas a dominar o jogo e com uma linha avançada que muito trabalho deu à defesa ucraniana. O empate, a uma bola, no final dos primeiros 45 minutos era um prémio para os forasteiros.

A segunda parte foi de pendor ucraniano, muito por culpa das muitas alterações que o seleccionador português efectuou e que se prenderam “com a gestão da condição física dos jogadores, que têm este fim-de-semana jogos importantes das competições nacionais”. Os ucranianos defendiam “com um bloco muito baixo”, na opinião de José Guilherme, e Portugal foi tão acutilante quanto tinha sido no período inaugural.

André Vidigal, ©Elvasnews
André Vidigal
©Elvasnews

O jovem elvense ao serviço da Académica, André Vidigal, jogou os primeiros 45 minutos e estava radiante por ter actuado perante o seu público. Diz que está “a viver um sonho” pois desde pequeno “sempre sonhei ir à Selecção” e agora esta foi a primeira experiência que considera “uma boa preparação para as competições de alto nível”.

José Guilherme fez um balanço positivo deste estágio que “permitiu ver alguns jogadores que não conhecíamos tão bem num contexto competitivo e avaliar o actual momento do conjunto, nomeadamente as suas principais lacunas”.