Universidade de Évora
   Publicidade   
   Publicidade   

A residência universitária Manuel Álvares, situada na periferia do Centro Histórico da cidade de Évora, será o local onde ficarão temporariamente alojados os utentes do lar da Quinta da Sisuda, onde foi detectado, no final da semana passada, um surto de COVID-19.

   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 

“A Universidade de Évora é sem dúvida uma instituição pública ao serviço da comunidade em qualquer momento e circunstância. Por essa razão respondemos rápida e positivamente ao apelo da Autarquia para ajudar a resolver o problema que surgiu com o aparecimento deste surto e de forma a assegurar todas as condições de bem-estar aos utentes”, esclarece a Reitora da Universidade de Évora, Ana Costa Freitas.

Acrescenta ainda que, “não obstante esta cedência, está garantido o alojamento dos nossos estudantes em locais alternativos, correspondente ao número de camas agora cedidas (num total de 40), e em articulação com a Câmara Municipal de Évora”.

O processo de adaptação do espaço cedido pela Universidade para este fim, ficará a cargo das autoridades competentes, sendo que está estabelecido um período máximo de cedência até ao final de 2020.

Recorde-se que a UÉ tem vindo a contribuir a vários níveis no apoio à comunidade local, nomeadamente através da Unidade de Testes Covid-19, da cedência de outra das suas residências para profissionais de saúde, entre outras acções e medidas para minimização dos efeitos associados à pandemia.