Universidade de Évora
   Publicidade   
   Publicidade   

A Universidade de Évora (UÉ) colocou à disposição da Administração Regional de Saúde do Alentejo, um termociclador PCR, equipamento essencial ao diagnóstico da doença Covid-19, identificou também um ventilador que poderá ser cedido se necessário, tendo doado, ainda, materiais de protecção tais como luvas, máscaras cirúrgicas e batas armazenadas na Escola Superior de Enfermagem, no Hospital Veterinário, no laboratório de Biologia da ECT e nos Laboratórios de Virologia Vegetal e Micologia do MED.

   Pub 
   Pub 

Ana Costa Freitas, Reitora da UÉ, considera que a gestão de uma crise desta natureza requer “responsabilidade, articulação e solidariedade. É de Saúde Pública que falamos. É a protecção de todos os cidadãos que temos que garantir. Por isso, disponibilizar todos os meios para apoiar os profissionais de saúde é um dever.”

Recorde-se que as primeiras medidas implementadas pela UÉ antecederam o seu Plano de Contingência para prevenção da transmissão da COVID-19, considerando a responsável da UÉ que “o acompanhamento e análise da evolução da pandemia assim o exigiu”. A primeira medida determinou a suspensão das mobilidades in e out de estudantes, docentes, investigadores e não-docentes, a que se seguiu a recomendação para regresso a Portugal de todos os membros da academia que se encontravam fora do país, e uma série de medidas e recomendações que foram adaptadas diariamente, como a suspensão das actividades lectivas presenciais, dos serviços de atendimento presencial e a adopção do teletrabalho.