Universidade de Évora integra Aliança de Universidades Europeias

UÉ - Universidade de Évora
   Pub   
   Pub   

A Aliança de Universidades Europeias EU GREEN, integrada pela Universidade de Évora, viu aprovada pela Comissão Europeia o seu plano de trabalho para quatro anos, com um financiamento global de 14.4 milhões de Euros, para o desenvolvimento sustentável do ensino e da investigação nas áreas do crescimento económico, social, cultural e ambiental. A EU GREEN é uma das quatro (4) novas alianças transnacionais de Universidades Europeias que se juntam, agora, às dezasseis (16) alianças que renovaram o apoio da Comissão Europeia.

Liderada pela Universidad de Extremadura (Espanha) e integrada por mais oito (8) instituições de ensino superior (University of Gävle (Suécia) Wroclaw University of Environmental and Life Sciences (Polónia) Universitá di Parma (Itália) Université D’Angers (França) Universidade de Évora (Portugal) Otto von Guericke Universität Magdeburg (Alemanha) South East Tecnological University (Irlanda) Universitatea Din Oradea (Roménia), a aliança EU GREEN- European University alliance for sustainability: responsible GRowth, inclusive Education and ENvironment, pretende implementar uma estratégia concertada para a formação de cidadãos e para o desenvolvimento de investigação inovadora que contribua para uma evolução favorável dos ecossistemas locais e/ou regionais.

As nove instituições que compõem o consórcio são similares em dimensão, localização e missão dentro dos respectivos ecossistemas nacionais. São universidades de média dimensão, situadas em regiões relativamente periféricas. Este contexto partilhado “torna-nos particularmente conscientes dos desequilíbrios territoriais” afirma Hermínia Vasconcelos Vilar, Reitora da Universidade de Évora, pelo que “defendemos um modelo mais justo, baseado no conceito de “excelência distribuída” em que cada cidade e região da Europa tem um papel a desempenhar”.

 Pub 
 Pub 

Com uma comunidade académica conjunta de mais de 144.000 estudantes e 13.900 docentes e técnicos, a EU GREEN pretende ser “um extenso hub europeu de educação, investigação e inovação em sustentabilidade que ultrapassa as fronteiras do consórcio e atua globalmente para fornecer soluções aos desafios locais ou regionais, que podem ser replicadas a nível mundial”, tendo como valor transversal a sustentabilidade para dar uma resposta eficaz aos desafios prementes da nossa sociedade.

Como explica a Reitora da Universidade de Évora, “todas as instituições envolvidas estão fortemente posicionadas nos respectivos territórios e partilham um enfoque no desenvolvimento regional, encontrando-se alinhadas com as respectivas Estratégias de Investigação e Inovação Inteligente (RIS3) e as políticas regionais em matéria de sustentabilidade e Objectivos de Desenvolvimento Sustentável.

Os parceiros da EU GREEN partilham, ainda, como foco comum, o aumento da mobilidade e internacionalização em toda a Europa, demonstrada pela grande amplitude dos programas de mobilidade que têm posto em prática e cuja face mais visível é a média de de estudantes internacionais em todas as instituições, que ronda os 15%.

Este campus universitário transnacional será, na visão da Aliança EU-GREEN “um espaço de ensino reconhecido, centrado no aluno e inspirado na investigação”, não só virtual, mas também físico. “Queremos criar experiências, queremos impulsionar mobilidades e queremos cooperar para além do nível académico”, acrescenta Hermínia Vasconcelos Vilar.

De facto, as competências e aptidões, de cada uma das instituições parceiras serão utilizadas não apenas para alcançar um esquema coerente de mobilidade para regiões não europeias, mas também para partilhar novas abordagens e metodologias em tópicos relacionados com a sustentabilidade transversais aos três pilares das IES: Ensino, Investigação, Inovação e transferência de conhecimento. Alguns dos focos principais do Plano de Trabalho, agora aprovado pela Comissão Europeia (CE) passam pela co-criação de conhecimento com os vários parceiros – investigadores, alunos, indústria, sociedade civil, autoridades públicas – através do desenvolvimento de metodologias inovadoras e alinhadas com as idiossincrasias das regiões de actuação; a promoção de ecossistemas regionais sustentáveis em toda a Europa, assegurando um verdadeiro impacto transformador na sociedade, que possa ser implementado globalmente e o desenvolvimento de estratégias de educação dos cidadãos para a sustentabilidade, dando-lhes as ferramentas necessárias para o implementar e monitorizar a sua evolução.

Juntamente com as 24 alianças seleccionadas em 2020, a CE financia, actualmente, um total de 44 Universidades Europeias, que envolvem agora 340 instituições de ensino superior em regiões remotas de 31 países, incluindo todos os Estados-Membros, bem como a Islândia, Noruega, Sérvia e Turquia. Este instrumento de financiamento da CE, envolve a criação de Universidades Europeias, as quais são alianças transnacionais compostas por instituições de ensino superior, que podem incluir Instituições de Ensino Superior, institutos de tecnologia, escolas de artes e instituições de ensino e formação profissional superior, abrangendo um vasto âmbito geográfico em toda a Europa.

Juntas, estas instituições estão a encontrar novas formas de cooperação estrutural, sustentável, sistémica e a longo prazo em matéria de educação, investigação e inovação em toda a Europa, oferecendo para tal programas curriculares centrados no estudante, ministrados conjuntamente em campus interuniversitários, onde estudantes, pessoal e investigadores de todas as regiões da Europa trabalham conjuntamente.

Cultura, Ciência e Tecnologia