Início Galerias Fotografia Vagabundo

Vagabundo

COMPARTILHE
©João Carvalho
   Publicidade   
   Publicidade   

Entre o que sonhei ser e o que fui,
Sobram apenas os escombros, o que sou,
Vagabundo indiferente para o Mundo,
Que por mim passa a passos largos, sem nunca me ver.

Restas-me tu fiel amigo,
Companheiro das noites frias,
Porque os outros cedo começaram a partir,
Primeiro evitando-me, educadamente,
Depois virando a cara, evitando conhecer-me.

Tenho toda a liberdade do mundo,
Mas vivo enclausurado nas grades da indiferença,
Ninguém se aproxima,
Parece que não existo, mas eu penso e já alguém disse que,
Se penso, logo existo.

Perdi a coragem de sonhar,
Refugiei-me no fundo de uma garrafa,
Que me ajuda a esquecer quão vazios são agora os meus dias,
Vagueio pela cidade na busca de algo que não encontro,
Mas que também não saberia reconhecer, caso encontrasse.

Espero que a morte venha, silenciosa como os meus dias,
Quente como há muito as minhas noites não o são,
Leve como a minha alma depois da primeira gota,
Deixando para trás os meus escombros,
Levando-me de volta ao que já fui…”

Texto: AAdolfo
Foto: João Carvalho