Afinal, as aldeias não morrem pois não?
   Publicidade   
   Publicidade   

Decorridos cinco anos após o lançamento de Searas ao Vento, o elvense Nuno Franco Pires volta agora à ribalta literária, cheio de pujança e maturidade, para nos brincar com uma segunda obra de ficção: Um Dia a Aldeia Acabou.

   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 

Apresentado em Dezembro de 2014, na Casa da Cultura, em Elvas, Nuno Franco Pires dava os primeiros passos nesta aventura literária com Searas ao Vento, o seu primeiro romance ficcionado cuja obra atingiu a segunda edição. Com ele o autor elvense passeou-se pela Feira do livro de Lisboa, Estremoz, Olivença e por clubes de leitura em Badajoz, Monforte e Cascais, estreando-se no mundo literário com uma versão ficcionada das suas histórias de família.

Depois de um longo interregno de cinco anos sem publicar, período que dedicou a outros projectos, Nuno Franco Pires acusou a pressão do segundo romance e ultima agora a apresentação de um novo livro prevista para o próximo dia 21 de Março, em Elvas.

Com o título Um dia a aldeia acabou, Nuno Franco Pires desafia os leitores a uma reflexão sobre a desertificação do interior do país motivado pelo envelhecimento populacional, pelos fenómenos migratórios e pela perda de valores familiares e comunitários impostos por uma modernidade falaciosa. Santa Isabel, uma aldeia fictícia perdida no Alentejo, será o palco de amores e desamores onde a família da centenária Esperança protagonizará o definhar daquele pequeno núcleo populacional.

“Mais que uma história, gostava que este livro fosse uma tomada de consciência da realidade de muitas aldeias espalhadas pela franja interior do país, sobreviventes do abandono e da partida de muitos dos seus filhos, em busca de melhores condições de vida”, desabafa o autor.

Tendo optado por uma edição em nome próprio, o autor rodeou-se do talento de alguns amigos, dizendo-se “muito agradado” com o produto final. A criação e gestão de marca ficou a cargo da empresa Origem, de Diogo Guerrinha, a revisão de textos teve a supervisão da autora Eduarda Faia, a fotografia é da responsabilidade da fotógrafa amadora Cristina Baptista e as ilustrações são da artista elvense Elisabete Fiel.

Este segundo livro de Nuno Franco Pires encontra-se em produção e brevemente estará disponível para venda no site e redes sociais do autor, bem como em algumas livrarias.